quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Por que muitas Assembleias de Deus estão se neopentecostalizando?

Em muitas Assembleias de Deus, o tempo da exposição da Palavra de Deus tem sido suprimido ou reduzido por causa de shows de coreografia ou peças teatrais. Além disso, pregações sobre a obra expiatória do Senhor Jesus e as ministrações do Espírito Santo têm cedido espaço à falaciosa Teologia da Prosperidade e ao aberrante “reteté”. A exposição das Escrituras sob a unção do Espirito não é mais suficiente. É preciso animar auditório, recorrer a práticas bizarras, como derramar jarras de azeite sobre a cabeça, ou empregar técnicas para emocionar as pessoas, como o famigerado fundo musical. É triste, mas em muitas Assembleias de Deus o culto não é mais para Deus e faz-se de tudo um pouco para agradar as pessoas e massagear seus egos. Capoeira, “gospel funk”, street dance, “festa jesuína” e outras formas de entreter o povo têm sido adotadas como estratégias de “evangelização”. Está essa igreja pentecostal centenária se neopentecostalizando? A bem da verdade, o Deus da Assembleia tem as suas reservas na terra. Há pastores e expoentes das Escrituras que têm cuidado de si mesmo e da doutrina (1 Tm 4.16) e não se deixaram influenciar pelo místico neopentecostalismo. Mas muitos líderes que se dizem assembleianos já se neopentecostalizaram — infelizmente —, a fim de agradarem a uma multidão de interesseiros. Todos os líderes da Assembleia de Deus deveriam saber que o modelo de culto pentecostal não está nas igrejas neopentecostais — que propagam um culto pseudopentecostal —, e sim na Palavra de Deus, mais precisamente em 1 Coríntios 14. Esta passagem bíblica apresenta, pelo menos, sete caracteríscas para o culto genuinamente pentecostal. 1. O propósito principal da manifestação multíplice do Espírito Santo em um culto coletivo a Deus é a edificação do seu povo (vv. 4,5,12). Risos intermináveis e supostas quedas de poder edificam em quê? 2. A faculdade do intelecto não pode ser desprezada no culto em que o Espírito Santo, de fato, age (vv. 15,20). Ninguém genuinamente usado pelo Espírito deixa de raciocinar normalmente, em um culto coletivo a Deus. 3. Um culto a Deus não deve levar os incrédulos a pensarem que os crentes estão loucos (v. 23). O que pensam os não-crentes que assistem a certos vídeos disponíveis no YouTube, nos quais vemos pessoas caindo ao chão, rindo sem parar, rosnando, latindo, mugindo, rugindo, uivando e rolando umas sobre as outras? 4. O culto coletivo deve ter ordem e decência; tudo deve ocorrer a seu tempo: louvor, exposição da Palavra, manifestações do Espírito (vv. 26-28,40). Um culto que não tem ordem nem decência é dirigido pelo Espírito? 5. No culto genuinamente pentecostal deve haver julgamento — segundo a reta justiça, conforme João 7.24 —, discernimento, a fim de se evitar falsificações (v. 29). Leia também 1 Coríntios 2.15 e 1 João 4.1. 6. Haja vista o espírito do profeta estar sujeito ao próprio profeta, é inadmissível que aconteçam manifestações consideradas do Espírito Santo em que pessoas fiquem fora de si (v. 32). 7. O Deus que se manifesta no culto coletivo não é Deus de confusão, senão de paz (v. 33). Quando um showman como Benny Hinn derruba pessoas carentes de uma bênção ou os seus supostos opositores com golpes de seu paletó, além da confusão que se instala no “culto”, tal atitude não é nada pacificadora. E quem recebe a glória, indutivamente, é o próprio showman. Diante dos princípios apresentados, não há como considerar o “cair no Espírito” e a “unção do riso” como manifestações genuinamente do Espírito Santo! Não nos enganemos. O verdadeiro avivamento só ocorre quando há submissão à Palavra de Deus e ao Deus da Palavra. Lembremo-nos de que, se alguém cuida ser profeta ou espiritual, deve reconhecer os mandamentos do Senhor (1 Co 14.37). Ciro Sanches Zibordi

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

NESTA GUERRA VOCÊ NÃO VAI PELEJAR!

Logo que começaram a cantar, o Senhor Deus causou confusão entre os moabitas, os amonitas e os edomitas, e ele foram derrotados.” 2 Crônicas 20:22 O capítulo 20 de II Crônicas fala de um momento delicado na história de Josafá: um exército enorme vinha do outro lado do mar para atacar o povo de Judá. Aquele exército era composto por homens adestrados para guerra. A palavra diz que Josafá ficou com medo e foi orar a Deus e convocou todo o povo a orar a jejuar. Então, Deus usou um profeta para dizer liberar uma palavra: nesta luta vocês não terão que pelejar, fiquem quietos pois eu vou pelejar por você. Então a ordenança de Josafá foi que o povo começasse a marchar e adorar ao Senhor. Eles deveriam apenas adorar, não iriam lutar. Com certeza os comandantes acostumados com guerra pensaram: não se vence guerra dessa maneira, isso é loucura. Mas Josafá entendeu que aquela era uma direção dada por Deus e falou ao povo para não temer pois eles estariam seguros. Em determinadas situações de nossas vidas, Deus age da mesma forma. Ele nos diz: abaixe as armas, pois não é você que vai pelejar. Sou eu que vou lutar por você. Imagine essa situação. O povo adorava enquanto um exército vinha contra eles. Cantar louvores quando tudo vai bem é fácil, mas adorar em meio a dificuldade é um grande desafio. Quando temos um problema, costumamos focalizar toda a nossa oração em cima do problema. Contudo, muitas vezes, o que nos traz crescimento é erguer uma oração de adoração ao Senhor. Estamos no fim de ano e chegou a hora de levantar um altar de oração e adoração ao Senhor. Precisamos levantar um culto em nossas casas. Nosso culto não pode ser apenas em nossa igreja, precisamos adorar ao Senhor em nossa casa. Quando Deus te disse que Ele irá pelejar por você, confie! Humanamente é impossível vencer uma guerra apenas cantando. E talvez que possa parecer loucura deixar que Deus peleje por nós, mas precisamos crer na direção do Senhor. Josafá creu e no versículo 22 nos fala que o exército dos inimigos foi destruído completamente. Deus deseja que você deixe Ele pelejar por sua vida! Deus te diz para levantar um altar de adoração em sua casa, pois Ele quer pelejar por sua vida, e vai te dar a vitória em todos os seus caminhos. Faça de Deus o centro de sua casa e de sua vida, e com certeza será suprido, cuidado e verá os milagres do Senhor. Creia: O Senhor é o Deus que age quando tudo parece impossível. Não precisamos procurar explicação, devemos buscar viver as surpresas de Deus e deixar que Ele peleje por nós. Apenas erguer um altar de adoração parecia um direção absurda, mas aquele povo não procurou explicação, apenas creu na direção do Senhor. Comece a adorar pois a glória do Senhor irá descer sobre a sua vida. Nosso Deus é um Deus provedor, abençoador e levantar o exército Dele em nosso favor.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Retete mais um modismo pentecostal

<
Muitos de nossos erros nas áreas onde estão envolvidos os dons espirituais surgem quando queremos que o extraordinário e o excepcional sejam transformados no freqüente e no habitual. Que todos que desenvolvem desejo excessivo pelas “mensagens” transmitidas por meio dos dons possam aprender com os enormes desastres das gerações passadas com nossos contemporâneos [...] As Sagradas Escrituras é que são lâmpada que ilumina nossos passos e a luz que clareia nosso caminho. Donald Gee, pastor assembleiano em 1963.[1] Reteté ou repleplé são manifestações cúlticas extravagantes atribuídas ao Espírito Santo. No “culto” reteté a um imperativo de desordem e indecência, onde a racionalidade é desprezada e o caos é celebrado. O “cair”, “runir”, “dançar”, “pulos elétricos” são comuns em reuniões super-ultra-mega agitadas e “fervorosas”. Em reuniões pentecostais, o reteté se tornou uma moda constante e tolerável. Características do culto “reteté” Segundo o pastor pentecostal Ciro Sanches Zibordi, esse tipo de “culto” caracteriza-se pelos “hinos” que “são apresentados com ritmos como axé, com batuques que lembram reuniões do candomblé, e muito forró. Pura carnalidade! Pessoas rodopiam, caem, riem, berram etc.” [1] O historiador pentecostal Isael de Araújo o assim descreve: Nos cultos “reteté”, pessoas marcham, pulam, contorcem, caem, riem, berram, ficam rodopiando pra lá e pra cá num verdadeiro reboliço. Geralmente, essa desordenada movimentação se dá enquanto hinos são cantados em ritmos como forró ou axé, com batuques e pandeiros que lembram reuniões do candomblé. Para os crentes do “reteté” só os seus cultos são verdadeiramente pentecostais e têm o mover de Deus. Mas esses cultos ultrapassam os limites da meninice e muitas vezes são pura expressão de carnalidade e falta de temor a Deus. Seus dirigentes são obreiros neófitos que não estimulam o povo a ler mais a Bíblia e ser mais equilibrados. [3] No culto “reteté” a extravagância, os exageros, a irracionalidade, a falta de exposição das Escrituras com uma doxologia que leva a reflexão são características marcantes. Os freqüentadores desses cultos são cristãos, normalmente neófitos ou imaturos, que não crescem de maneira sólida. Um grande problema é ver vários pastores envolvidos em tais modismos! Qual o problema do reteté? São vários os problemas com essa modalidade de culto e seria necessário rasgar I Co 14 das Sagradas Escrituras, para aceitar o reteté. a) A passagem ensina ordem e decência (v.40), além de mostrar que os dons têm propósitos para edificação da Igreja (v.26). “Faça-se tudo para edificação”. b) Deus não é de confusão (I Co 14.33). O reteté encarna o caos! c) O “reteté” infantiliza, contrariando o bom-senso exortado pelas Escrituras (I Co 14. 20) d) O culto é racional (Rm 12.1), enquanto o “reteté” inspira os mais primitivos instintos emocionais, desprezando por completo o intelecto. O culto cristão é formalista e monótono? Não, pois experiências esporádicas e não normativas são possíveis no culto cristão, seja ele pentecostal ou tradicional. Experiências são aceitáveis, desde que não se torne moda e provoque desordem no culto. Experiências não podem servir para outros, pois são pessoais, relativas, únicas e exclusivas. Os dons espirituais devem ser exercidos nos cultos, mas segundo os parâmetros da doutrina bíblica exposta nas epístolas. Exposição bíblica? Em nenhum culto de “reteté” é possível ver uma boa exposição das Sagradas Escrituras. Os pregadores do “reteté” usam a Bíblia com amuleto ou para extrair versículos sem contexto para apoiar as trágicas pregações. A Bíblia nada vale nos cultos do reteté. Nessas reuniões, às vezes acontece que nem a leitura bíblica é feita! Conclusão: Culto pentecostal é composto de hinos, exposição das Escrituras, exercício na coletividade dos dons espirituais (I Co 14.26). A liturgia pentecostal não deve ser o extremo oposto da equilibrada liturgia tradicional, pois o que diferencia é o exercício dos dons, com toda moderação e seguindo as diretrizes da Bíblia. Referências Bibliográficas: 01. GEE, Donald. Spiritual gifts in the work of ministry today. Springfield: Gospel Publishing House, 1963, p.51 Cit in GRUDEM Wayne. O Dom de Profecia. São Paulo: Editora Vida, 2004. p 414. 02. ZIBORDI, Ciro Sanches. Mais Erros Que os Pregadores Devem Evitar. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. p 46. 03. ARAÚJO, Isael de. As principais tentações do pentecostalismo hodierno. Mensageiro da Paz, Rio de Janeiro, Julho de 2008. Artigo. p 27.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Voce Nao Está Sozinho

Existe Momentos Na vida que Tudo dá Errado,momentos de crise e sofrimento e perda,é Nesse Momento que descobrimos os Verdadeiros Amigos,Na Biblia existe varios homens e mulheres que se Sentiram assim,é Nesses Momentos de crise que o Verdadeiro amigo Mostra seu Amparo e seu Amor Para Conosco,Deus Nao te Abadonou ele está perto de voce,cuidando e falando como voce,nao desanimes ,voce foi Escolhido e é Especial! Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares(josue 1.6...Deus te ama ...continue Firme e Deus vai te dá a Vitoria..