quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A Bondade de Deus

Acordei com esta mensagem de Deus saltitando em minha alma, Deus quer falar com centenas de pessoas Agora!. Tema: Mefibosete, O Homem que Pagou a Bondade do Rei Com Ingratidão. Texto 2 Sm 19:25,30. Introdução: Uma pessoa de valor nunca é ingrata, Um ingrato se esquece de mil refeições mas reclama de uma que não teve, a ingratidão é uma faca que fere sem piedade, a ingratidão começa no final da benfeitoria, grande parte da infelicidade é feita de ingratidão. 1- Quem era Mefibosete. A- Filho do amigo íntimo de Daví, Príncipe Jônatas.. B- Era Neto de Saul o primeiro rei de Israel. C- Foi lançado ao chão pela sua ama e ficou aleijado de ambos os pés. D- Desdos Cinco anos de idade ficou deficiente. E- Morava em lodebar. F- Teve dois nomes 1ª Meribe-baal (Lutador de baal) 2º Mefibosete (Destruidor de Vergonhas). 2- A Bondade do Rei Davi (Ungido do Senhor) por Mefibosete. A- Mefibosete foi lembrado pelo rei B- Mefibosete foi mandando buscar pelo rei. C- Mefibosete foi introduzido ao palácio pela ordem do rei. D- Mefibosete se assentou a mesa pela permissão do rei. E- Mefibosete comia pão entre os súditos do rei. F- Mefibosete foi adotado como filho do rei. G- Mefibosete recebeu a herança de sua família sob a ordem do rei. 3- A Gratidão de Davi paga com a Ingratidão de Mefibosete. A- Quando Absalão se rebelou contra Davi, Mefibosete resolveu ficar em Jerusalém!. 2 Sm 19:25 B- Mefibosete no momento que mais Davi precisava de apoio e amigos ele não quis acompanhar o rei. 2 Sm 19:25 C- Ele diz ao rei dizendo que não foi com o rei porque era coxo, e não podia albardar um jumento e acompanhar. 2 Sm 19:26 D- Ele diz ao rei que estava sendo acusado falsamente de não ter ido com o rei. 4- A Decisão de Davi diante da Ingratidão de Mefibosete. A- O Rei Davi ficou indignado com Mefibosete e lhe diz; Por que ainda mais falas de teus negócios?. 2 Samuel 19:29 B- Davi deu ordem que todos os bens de Mefibosete fosse dividido ao meio com aquele que havia acompanhado o rei, Ziba. 2 Sm 19:2. C- Veja que Simei que amaldiçoou, apedrejou o rei foi perdoado pelo Rei no seu regresso para Jerusalém. 2 Sm 19:18,23. Mais a gravidade da ingratidão de Mefibosete foi a única atitude triste pro rei no dia de sua grande vitória, voltando a Jerusalém e ao trono e novo. Conclusão: Cuidado com o sentimento maligno da ingratidão, ele pode fazer o rei te tomar os bens que tu recebeu e dar ao outro teu companheiro!. A tua ingratidão pode fazer o rei ser grato com o que amaldiçoa e apedreja e nunca suportar a tua omissão e ingratidão. Deus te abençoe

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A simplicidade do Evangelho

Muitas vezes, como pregadores da palavra, pedimos ao Espírito Santo de Deus que nos dê palavras reveladas baseadas na bíblia, mensagens diferentes de tudo que já se ouviu a respeito de uma mesma passagem bíblica, e o Espírito Santo até nos dá, todavia, por conta desta busca constante e até mesmo por causa do orgulho (desejo de reconhecimento como bons pregadores) as vezes nos esquecemos de pregar a simplicidade do Evangelho de Cristo, ou seja, deixamos de lado a pregação daquilo que realmente é essencial! O Espírito Santo me disse que a Igreja de Cristo precisa voltar a pregar a simplicidade do Evangelho! Jesus é o mesmo ontem, hoje e será eternamente! Ele salva, transforma, liberta, batiza com o Espírito Santo, dá dons para aqueles que buscam, cura, faz milagres e voltará para buscar a sua Igreja, que deve ser santa, irrepreensível e com boas obras! "Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da SIMPLICIDADE QUE HÁ EM CRISTO" 2 Coríntios 11:3

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

A TRINDADE

A TRINDADE As três pessoas que compõe o ser único de Deus - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - são chamados de a Trindade. A palavra "Trindade" não aparece na bíblia. Os estudiosos criaram-na para descrever os três seres que constituem Deus. Através da bíblia, Deus está presente como sendo o Pai, o Filho e o Espírito Santo - não são três "deuses", mas sim três personas do único Deus (veja, por exemplo, Mateus 28:19; 1Coríntios 16:23-24; 2 Coríntios 13:13). As Escrituras apresentam o Pai como a fonte da criação, o que dá a vida e Deus de todo o universo (veja João 5:26; 1 Coríntios 8:6; Efésios 3:14-15). O Filho é retratado mais como a imagem do Deus invisível, a representação exata do seu ser e de sua natureza e o Messias redentor (veja Filipenses 2:5-6; Colossenses 1:14-16; Hebreus 1:1-3). O Espírito é Deus agindo, Deus alcançando as pessoas - influenciando-as, mudando-as internamente, enchendo-as e guiando-as (veja João 14:26 ; 15:26; Gálatas 4:6; Efésios 2:18). Todos os três formam uma trindade, vivendo dentro do outro e trabalhando juntos para cumprir seu plano divino para o universo (veja João 16:13-15). A divindade de Cristo é confirmada nas mais antigas pregações cristã, sob os termos “Senhor e Cristo” (At 2.36, cf 4.12; 5.31; 10.36 etc.); e a mais antiga epistola de Paulo já concentrou esta fé no significativo título “o Senhor Jesus Cristo” (1Ts 1.1,3; 5.23,28). A mais característica expressão, dada a esta crença, é a designação “Filho de Deus” aplicada a Cristo, não somente pela Sua missão divina (Mc 1.11 cf Sl 2.7), mas também pela Sua divina natureza, envolvendo as verdades da Sua preexistência e encarnação. E é digno de nota que o único exemplo daquele título, no livro dos Atos, acha-se em conexão com a primeira pregação do convertido Saulo de Tarso (At 9.20). O sentido é messiânico (cf. o seu equivalente termo no Vers. 22, “o Cristo”). A visão, que Saulo teve na estrada de Damasco, tinha-o convencido de que Jesus, o Messias, era uma pessoa divina. E por isso a expressão “Filho de Deus” alcançou, para ele, uma nova significação. Logo nos primeiros dos seus escritos aparece, sem ser coisa imposta, a natural linguagem de um fato admitido (1Ts 1.10; Gl 1.16; 2.20; 4.4,6; 1 Co 1.9; 15.28; 2 Co 1.19; Rm 1.3,4,9; 5.10; 8.3,29,32; Ef 4.13). Em nenhuma parte S. Paulo apresenta uma doutrina especifica acerca da pessoa de Cristo, mas as citadas passagens (especialmente Rm 8.3; Gl 4.4; 1 Co 15.28, e também 1 Co 8.6; 2 Co 4.4; 8.9; Fp 2.6 a 11; Cl 1.13 a 19), claramente mostram que, para ele, “era Cristo um Ser verdadeiramente único, que, antes de vir ao mundo, partilhava da divina natureza e glória, e que depois, na Sua sublime ressurreição, foi simplesmente ocupar, de um modo maravilhoso, a dignidade que corresponde à Sua essência e direitos inerentes. E não se torna necessária uma circunstanciada prova de que esta maneira de ver, a respeito de Cristo, foi aceita e desenvolvida pelos outros escritores do Novo Testamento” O próprio tema do autor da epistola aos Hebreus é a necessária finalidade de uma revelação pelo “Filho de Deus” (Hb 1.1 a 4, e passim); o prólogo ao evangelho de João, com a sua proclamação do “Verbo” feito carne, e a mensagem de Deus aos homens por meio do “unigênito do Pai”, prepara-nos para a elevada Cristologia de todo o evangelho e da primeira epístola. Sem referência a quaisquer contestadas passagens, pode de um modo decisivo mostrar-se que Jesus possuía a qualidade divina para os escritores do Novo Testamento Eles conservavam fortemente o monoteísmo da religião hebraica: para eles havia “um só Deus” (Rm 3.30; 1 Co 8.6; Gl 3.20; Ef 4.6; 1Tm 2.5; Tg 2. 19); mas também havia “um só Senhor” (1 Co 8.6; Ef 4.5) de tal modo essencialmente relacionado com Deus, em tudo o que se refere aos homens, que a bênção apostólica toma naturalmente a forma dual: “a todos os amados... Graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo” (Rm 1.7; 1 Co 1.3; 2 Co 1.2; Gl 1.3; Ef 1.2; Fp 1.2; 1 Ts 1.l;2Ts 1.2; 1 Tm 1.2; 2Tm 1.2; Tt 1.4; Fm 3). Além disso, a história da Igreja cristã tem o seu principio no dia de Pentecostes, com o derramamento do Espírito Santo, “a promessa do Pai”, anunciada por Jesus (At 1.4; 2.33; Lc 24.19). Não é nosso propósito pormenorizar aqui o ensino do Novo Testamento a respeito do Espírito. Falando, porém, no sentido lato, a operação de Deus no mundo, para santificar e fortalecer os homens, é atribuída ao Espírito; ora o Espírito é Deus, operando no mundo. Dois pontos necessitam de especial menção: (1) Nas passagens que acabamos de citar, o dom do Espírito está em intima conexão com a elevação de Cristo. Foi em virtude de Jesus ter passado pela morte para o Seu lugar á mão direita de Deus, que ao homem é possível uma vida divina, cheia de energias do Espírito. É isto confirmado pela doutrina do quarto evangelho; “o Espírito até esse momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado (Jo 7.39); “Mas eu vos digo a verdade: Convém-vos que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros [O Paracleto, isto é, o advogado, auxiliador ]; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei” (16.7; cf 14.16,26; 15.26). Isto é apenas outra ilustração do que já se disse com respeito á deificação de Jesus, tendo-se mostrado que a expressão “Es­pírito de Deus” pode ser trocada por qualquer destas “Espírito de Jesus”, “Espírito de Cristo”, “Espírito de Jesus Cristo” (At 16.7; Em 8.9; Fp 1.19), e que em 1 Jo 2.1, o próprio Jesus Cristo é o “Paracleto”. (2) Ao lado da doutrina pela qual o Espírito parece identificar-se com a operação de Deus, ou de Cristo na Sua exaltação, achamos uma concepção que distingue do Pai e do Filho o Espírito Santo. Esta idéia está encerrada nas passagens já apontadas, e acha desenvolvimento nos ensinos de Paulo; se não é isso numa consistente doutrina, é-o pelo menos numa quase personificação do Espírito. A Sua operação na alma dos crentes é um trabalho pessoal (1 Co 2.13; 12.11; Rm 8.9, 14, 16. 26). Ele é igualado com Deus o Pai, e com Cristo, o Senhor (1 Co 12.4 a 6; Ef 4.4 a 6). A habitual bênção dual, que já citamos, não completa a concepção de Paulo com respeito à Divindade; uma vez somente ele dá inteira expressão a sua fé com a triplicada fórmula, hoje tão familiar, ‘A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós” (2 Co 13.13; cf. a fórmula batismal de Mt 28.19). São, pois, estes os dados para a doutrina da Trindade: o reconhecimento de um só Deus, sendo feita, contudo, a distinção, dentro da Divindade, entre Pai, Filho, e Espírito.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Prospere Mesmo No Deserto

Isaque formou lavoura naquela terra e no mesmo ano colheu a cem por um, porque o Senhor o abençoou. O homem enriqueceu, e a sua riqueza continuou a aumentar, até que ficou riquíssimo. Possuía tantos rebanhos e servos que os filisteus o invejavam. Estes taparam todos os poços que os servos de Abraão, pai de Isaque, tinham cavado na sua época, enchendo-os de terra. Isaque reabriu os poços cavados no tempo de seu pai Abraão, os quais os filisteus fecharam depois que Abraão morreu, e deu-lhes os mesmos nomes que seu pai lhes tinha dado. Gênesis 26:12 a 18 Introdução Falar de crise é tocar em um ponto nevrálgico para muitos. É colocar o dedo na ferida das emoções e mexer nas cicatrizes do passado. Crise sempre foi uma palavra temida no Brasil e praticamente qualquer brasileiro com mais de 25 anos já sentiu na pele seus nefastos efeitos. Talvez você seja um desses, e esteja neste momento sofrendo as dores de parto, digo da crise. Até bem pouco tempo, era moda dizer que quando os Estados Unidos espirravam, o Brasil pegava pneumonia. Isso mudou: os EEUU pegaram quase uma tuberculose em 2008 e o Brasil teve apenas uma leve coriza. É... as coisas mudam: o que vale hoje, pode não refletir o passado e nem muito menos servir de garantia de sucesso no futuro. Que o [mau] exemplo dos EEUU nos sirvam de lição de humildade. Eu também já fui vítima de crises. Na crise da Tequila (México), em 1994, houve um drástico corte nos concursos, época em que eu estava apto para passar no Concurso da Receita Federal, pois havia raspado a trave no ano anterior. Meus sonhos foram por água abaixo e a conquista de um cargo público na elite do funcionalismo demorou quase 15 anos para se tornar realidade. Em 1998 eu perdi uma excelente oportunidade de trabalho por conta da crise da Vodka (Rússia) e, recém-formado, iniciei um turbulento período de desemprego que me levou a uma espiral de fracassos e decepções que culminaram em um processo depressivo. Nessa época eu descobri o que era o deserto de Deus, e até as minhas necessidades mais básicas eram atendidas quase no último instante e, não raras vezes, dependendo da boa vontade de outras pessoas. Quando eu estava passando por aquela situação, muitas vezes entrei em desespero e olhei para o céu me sentindo abandonado por Deus à própria sorte... Mas, tudo isso passou, e eu venci. Às vezes, as pessoas nem fazem idéia de como eu posso extrair posts motivadores de tantas experiências amargas que tive, como foi o caso de minha coleção de fracassos amorosos (eu era um Don Juan às avessas #vergonha). Sabe, eu aprendi que é dos limões mais azedos que podemos extrair o melhor suco. E é isso que quase sempre faço (quando não estou falando bobagens, claro... risos) aqui no blog Desafiando Limites: fico espremendo minhas derrotas e fracassos, adoçando com humor e mexendo o caldo até virar um banquete aos famintos, desiludidos e decepcionados com a vida. E é disso que vou falar: vencer a crise. Foi o que Isaque fez, venceu a crise em meio ao deserto e cercado de hostilidade de seus vizinhos. Como ele fez isso? É o que vamos descobrir, juntos, a partir das próximas linhas. Me acompanhe. 1. As dificuldades fazem parte da vida Se existe uma coisa que precisamos entender é que as dificuldades fazem parte da vida, e que não existe um vida sem dificuldades. É assim que é a vida, e é assim que a vida é. Sabendo disso, ficará muito mais fácil você encarar as dificuldades (e oportunidades) de frente e fazer suas escolhas de modo consciente e consistente. Esteja ciente do que lhe aguarda após a próxima curva do rio, para não ser pego de surpresa. Você já deve estar escolado nessas coisas, mas não custa reforçar, certo? Querem destruir nossos sonhos e enterrar nossos projetos: Isaque percebeu que, assim como existem aqueles que querem nosso bem e torcem por nosso sucesso, também existe a torcida do contra, os espíritos-de-porco, o supra-sumo do cocô de gato em pó, que batalha para nos levar ao fracasso e a desistir de nossos objetivos. Não fique dando atenção a quem quer comemorar a sua derrota, mas eleja alguém decente e vitorioso para se espelhar e motivá-lo a seguir em frente. Querem roubar nossa herança: no deserto, quem cava um poço é dono. Isaque, como filho de Abraão, o desbravador de deserto e cavador de poços, era o legítimo herdeiro daqueles poços cavados por seu pai. Sabe, é triste e decepcionante descobrir que existem os parasitas do trabalho alheio, que vivem de sugar o resultado do esforço e suor do próximo (não, não estou me referindo aos políticos brasileiros e afins, mas que deu vontade... ah, isso deu). Esteja atento aos ladrões de herança, inclusive entre seu círculo íntimo. Querem impedir nosso crescimento: nós fomos projetados para crescer, evoluir, amadurecer, enfim, avançar. Mas, tem gente querendo jogar açúcar no nosso churrasco e estragar a nossa festa. Se já não bastasse ser difícil crescer em meio aos problemas, ainda tem uns trolls safados insistindo em puxar o freio de mão de nossa carroça. Cuidado com quem você chama para se sentar ao seu lado na corrida da vida. Querem nos expulsar do lugar da bênção: se tem uma coisa que me chateia é a incrível quantidade de pessoas invejosas ao redor do mundo. Como já dizia um pastor meu: basta você revirar uma pedra para achar um invejoso embaixo dela (junto com cobras, lagartos e outros bichos semelhantes). Para esse tipo de pessoa, não basta ela estar bem, você tem que estar na pior. Nosso sucesso parece incomodá-las, mas quer saber? Prospere em meio à crise, e deixe que eles se mordam de inveja. =) Querem nos forçar a parar no meio do caminho: esse é o golpe mais baixo que existe, que é fazer você parar e desistir de tudo. Usando todo tipo de tática intimidatória, os arautos do fracasso não suportam ver você avançar enquanto tantos ficam para trás. Mas, o que muitos não conseguem perceber é que investindo esforços em nos fazer desistir, tais pessoas dão um testemunho silencioso que, paradoxalmente, acreditam em nosso sucesso. E temem que consigamos chegar lá. Que tal não desapontá-los? risos 2. As atitudes que fizeram a diferença Em meio a tantos desafios, Isaque conseguiu prosperar em pleno deserto. Nos versos iniciais, vemos que ele semeou no deserto e colheu a impressionante cifra (ou safra... vai saber né) de 100 por 1! E mesmo tão próspero e abençoado, ele não ficou acomodado e deslumbrado com suas conquistas. Ao se tornar tão bem-sucedido, Isaque imediatamente atraiu os olhares invejosos dos filisteus, que não suportaram seu sucesso retumbante. Acontece isso todo dia, comigo, com você, com qualquer um que se destaque: ser tratado com desdém pelos invejosos de plantão. Então, aconteceu o inevitável: Isaque foi expulso por causa de sua competência em ser excelente empreendedor. Uma vez, ao assumir um cargo num certo órgão (que não vou dizer qual... risos), eu comecei muito animado, saindo de um desemprego constrangedor, queria mostrar serviço e fazer as coisas do jeito certo. Eu não queria aparecer, galgar degraus ou obter status, eu queria apenas e tão-somente TRABALHAR e fazer jus ao meu salário. Era pedir muito? Mas, não foi assim que me enxergaram... eu, sem saber, despertei inveja com aquela minha ânsia de trabalhar e fazer as coisas bem feitas. Fui humilhado e depreciado, marginalizado e colocado numa sala escura para perfurar e carimbar folhas. Uma colega de trabalho que soube da história chegou a dizer que eu havia sido punido por demonstrar que era competente! Tem base um negócio desses? #coisasdoBrasil Fiquei indignado, mas pensei melhor e disse a mim mesmo: "bom, não adianta revoltar, então se eles não me querem aqui, vou fazer a vontade deles: estudar e sair para outro órgão melhor assim que puder!". Esquecido naquela sala com cheiro de mofo, eu pensava que era o meu fim, e olha que não tinha nem 3 meses que eu havia assumido! Só que Deus estava olhando para mim e, para encurtar a história, pouco tempo depois eu fui convidado a assumir o lugar de quem me colocou na "geladeira". E a pessoa, para onde foi (não que eu quisesse assim, que fique claro)? Exatamente. Foi praquele lugar. Não, praquele não! Foi pro lugar que eu estava antes, o mesmo para o qual ela havia me mandado... risos #Deustremendo #Deusquesurpreende Aprenda as lições de Isaque para, mesmo em meio à crise, prosperar e vencer. Isaque cavou os poços antigos: aqui a palavra-chave é racionalizar esforços. Em administração aprendemos que racionalizar recursos e esforços significa aproveitá-los ao máximo, e fazendo uso de recursos antigos, mas ainda viáveis, Isaque demonstrou grande capacidade de gerenciamento na crise, pois identificou corretamente algo que poderia ser aproveitado sem despender muito esforço. Se já existe algo funcionando, por que não utilizar isso? Nem sempre começar tudo do zero é a opção mais sábia. Saiba avaliar o custo x benefício das decisões e poupar esforços para aquilo que é imprescindível. Isaque cavou novos poços: a grande lição legada por Isaque neste quesito é iniciativa. Quando a solução anterior mostrou-se de curta duração, a necessidade de inovar e descobrir novas alternativas chegou. Muitas pessoas ficam estagnadas na vida justamente por não possuírem a capacidade de se reinventar em vista de uma dificuldade inesperada ou oposição cerrada. Tenha iniciativa, não fique preso aos velhos chavões, mas seja criativo e descubra novos caminhos para atingir o mesmo objetivo, pois isso vai levá-lo a subir novos degraus na escada da vida. Isaque não ficou "arengando" pelos poços cavados: sabe qual é segredo sobre as contendas (arengas, em bom nordestinês)? É não ficar perdendo tempo com essas briguinhas tolas, pois seu intento principal é tirar nosso foco, e nos fazer desperdiçar tempo e recursos com essas coisas irrelevantes. Afinal, se eu sei que posso cavar mais poços, se eu sei cavar poços e sei onde cavar e obter resultado, por que perder tempo com bobagens? Resumindo em uma frase a lição de Isaque: não perder tempo e nem o foco. Isaque não parou de cavar poços: Os filisteus sabiam que estavam diante de alguém capaz e inteligente, e sabiam que se deixassem ele seguir em frente, ele iria longe. Por isso, todas essas tentativas não tinham outro objetivo maior do que fazer Isaque desanimar e desistir, e então capturá-lo nesse momento de fraqueza e vulnerabilidade. Se você se encontra diante da tentação de desistir, é nesse momento que você deve envidar seus maiores esforços para vencer a batalha. A chave disso é não desistir de tentar. Isaque insistiu até conseguir seu lugar de descanso: se tem uma coisa que eu preciso tirar o chapéu pra Isaque é que ele era uma pessoa insistente. Insistente no sentido de persistir, de correr atrás de seu objetivo, de não desistir de seus sonhos. As maiores tentações que já enfrentei, mesmo concorrendo com milhares de pessoas por uma vaga em um concurso público, não foi receio de não conseguir ser aprovado, mas uma perturbadora vontade de jogar tudo pra cima e me esconder no comodismo. Mas Isaque nos mostrou uma situação diferente, que não devemos abrir mão de nossos objetivos. Isaque honrou a memória de seu pai: essa é mais uma virtude de caráter do que propriamente uma atitude que influencia a conquista de objetivos. Todavia, eu aprendo lições valiosas aqui. Isaque admirava seu pai, e tinha prazer em mostrar isso publicamente. Muitas vezes observo que uma relação saudável pais & filhos traz muitas vantagens, tanto para uns como para outros. Por exemplo, meu pai está de cabelos todos brancos e eu com algumas décadas de vida (nasci no século passado...), mas ele sempre me cumprimenta com um beijo. Sai inveja (risos)! Qual é a lição? Seja grato e não renegue suas raízes. Comece a Cavar 3. Desentulhando os poços, o primeiro grande desafio Uma coisa ainda deve ser dita de Isaque: ele era um homem de visão. Ele enxergava soluções onde os outros só viam problemas. Alguém poderia dizer: "Isaque, os filisteus entulharam os poços, e agora?". Ele tinha atitude de quem coloca a mão na massa e resolve, não fica empurrando o problema com a barriga, nem despachando para assessores de coisa-nenhuma, que nada fazem de útil e proveitoso. Não, senhor, Isaque era diferente. Ele compreendeu que as dificuldades abrem portas de oportunidades. Mas, por que é primordial começar a tirar os entulhos de nossa vida para obter sucesso e prosperidade? Entulho é uma palavra bastante versátil e com vários significados, entre eles "lixo", "restolho", "imprestável", "sobras" e outros mais. Quando deixamos acumular entulho em nossa vida estamos entupindo os canais que podem nos trazer coisas novas e úteis. Os rios, por exemplo, também sofrem de "entulhamento", que é o processo quando se desmata as margens e eles perdem a proteção natural contra a erosão e vão acumulando areia em seu leito. Em outras palavras, eles acabam ficando assoreados. Alguns rios menores podem até morrer por causa disso. Desentulhar sua mente pode ser o primeiro passo de uma caminhada vitoriosa. Para começar, tire de sua mente os pensamentos negativos, de frustração e decepção com o passado, pare de ficar se lamentando com os fracassos, e deixe de ficar colocando a culpa de seus erros nos outros. Outra importante atitude é deixar o comodismo de lado e colocar em prática ações que realmente farão diferença em sua vida. Agindo assim, você logo perceberá que sua mente voltará a funcionar melhor e as coisas fluirão como antes, quem sabe até melhor do que antes! Às vezes, é preciso reconhecer que os entulhos são nossas desculpas de estimação, aquelas justificativas ridículas que usamos para tapar o sol com a peneira explicar porque ainda não conseguimos sair do marasmo. Sim, nossa mente necessita de um desentupimento das desculpas esfarrapadas se desejamos alçar voos mais altos e chegar mais longe. Outro segredo para conseguirmos limpar a mente da sujeira é a humildade. Claro! Observe alguém limpando um poço: ele se abaixa, se ajoelha. Quer mais? É preciso ter coragem para sujar as mãos e fazer a coisa certa. Não se engane: você jamais conseguirá sair do atoleiro sem descer do salto e arregaçar as mangas. Está na hora de parar de patinar e ganhar terreno na estrada da vida, e o momento de tirar o entulho de sua mente chegou. Procure ocupar sua mente com pensamentos úteis e atitudes positivas. Pode parecer ineficaz no começo, mas logo mais você vai perceber a diferença. Experimente! 4. Conclusão Quando estamos em meio à crise, muitas vezes bate o desespero, e queremos agarrar a primeira oportunidade que aparece como se fosse a última tábua de salvação. É nas crises que nossa paciência fica reduzida a níveis ínfimos, nossa perseverança arrefece e a esperança desvanece no ar. A crise é uma momento singular que nos prova ao extremo e, quando pensávamos que já havíamos atingido nosso limite, descobrimos que a corda foi esticada além do que imaginávamos. Um dos maiores desafios que enfrentamos na crise é manter a cabeça fria e a sensatez em dia, para que possamos raciocinar com clareza e perceber as nuances e sutilezas que alteram as circunstâncias que nos cercam. É preciso estar atento para discernir a mudança na direção do vento, antes contrário para favorável. Precisamos estar de pé e preparados para esticar novamente as velas e singrar os mares revoltos, mas em nova direção, rumo ao sucesso. Eu, finalizando (ufa!) preciso confessar algo: não é fácil escrever algo de relevância para quem está na dependência de um "milagre". Eu mesmo já estive em situação semelhante, e sei que nosso maior desejo não é ler uma palavra de incentivo, mas obter a solução de nosso problema e a saída dessa desagradável situação. Eu entendo você, pois já pensei desse mesmo jeito, e não o culpo. Todavia, permita-me um momento #sinceridade: não existe solução mágica para sair da crise. Às vezes, caímos de paraquedas bem no meio da crise, mas não existem saídas fáceis. Você, caro leitor(a), não tem alternativa: é sair ou sair, pois ficar não é a solução. E para sair da crise, você tem que colocar em prática o que eu disse e, é sério! funciona mesmo. Comece aos poucos, mas comece. Você vai ver que, quem sabe, a solução está bem pertinho de você, ao alcance da mão, mas é preciso um mínimo de esforço para conquistá-la. Quer saber? Vale a pena o esforço.

Deus luta por voce

“Logo que começaram a cantar, o Senhor Deus causou confusão entre os moabitas, os amonitas e os edomitas, e ele foram derrotados.” 2 Crônicas 20:22 O capítulo 20 de II Crônicas fala de um momento delicado na história de Josafá: um exército enorme vinha do outro lado do mar para atacar o povo de Judá. Aquele exército era composto por homens adestrados para guerra. A palavra diz que Josafá ficou com medo e foi orar a Deus e convocou todo o povo a orar a jejuar. Então, Deus usou um profeta para dizer liberar uma palavra: nesta luta vocês não terão que pelejar, fiquem quietos pois eu vou pelejar por você. Então a ordenança de Josafá foi que o povo começasse a marchar e adorar ao Senhor. Eles deveriam apenas adorar, não iriam lutar. Com certeza os comandantes acostumados com guerra pensaram: não se vence guerra dessa maneira, isso é loucura. Mas Josafá entendeu que aquela era uma direção dada por Deus e falou ao povo para não temer pois eles estariam seguros. Em determinadas situações de nossas vidas, Deus age da mesma forma. Ele nos diz: abaixe as armas, pois não é você que vai pelejar. Sou eu que vou lutar por você. Imagine essa situação. O povo adorava enquanto um exército vinha contra eles. Cantar louvores quando tudo vai bem é fácil, mas adorar em meio a dificuldade é um grande desafio. Quando temos um problema, costumamos focalizar toda a nossa oração em cima do problema. Contudo, muitas vezes, o que nos traz crescimento é erguer uma oração de adoração ao Senhor. Estamos no fim de ano e chegou a hora de levantar um altar de oração e adoração ao Senhor. Precisamos levantar um culto em nossas casas. Nosso culto não pode ser apenas em nossa igreja, precisamos adorar ao Senhor em nossa casa. Quando Deus te disse que Ele irá pelejar por você, confie! Humanamente é impossível vencer uma guerra apenas cantando. E talvez que possa parecer loucura deixar que Deus peleje por nós, mas precisamos crer na direção do Senhor. Josafá creu e no versículo 22 nos fala que o exército dos inimigos foi destruído completamente. Deus deseja que você deixe Ele pelejar por sua vida! Deus te diz para levantar um altar de adoração em sua casa, pois Ele quer pelejar por sua vida, e vai te dar a vitória em todos os seus caminhos. Faça de Deus o centro de sua casa e de sua vida, e com certeza será suprido, cuidado e verá os milagres do Senhor. Creia: O Senhor é o Deus que age quando tudo parece impossível. Não precisamos procurar explicação, devemos buscar viver as surpresas de Deus e deixar que Ele peleje por nós. Apenas erguer um altar de adoração parecia um direção absurda, mas aquele povo não procurou explicação, apenas creu na direção do Senhor. Comece a adorar pois a glória do Senhor irá descer sobre a sua vida. Nosso Deus é um Deus provedor, abençoador e levantar o exército Dele em nosso favor. Decida começar seu ano de 2012 assim: levante um altar de adoração, priorize ao Senhor e coisas Pr Luiz carlos extraordinárias irão acontecer.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

falso evangelho

[ Nos dias de hoje há muita confusão no meio evangélico. Não podemos negar que são muitos pregadores (nas televisões, no rádio e nas igrejas) que tentam convencer as pessoas com seu estilo e suas convicções. E diante de tantas vozes que falam sobre a Bíblia, alguém já me perguntou: "como posso saber se o evangelho que eu tenho ouvido não é falso?" Há um grande número de pessoas vendendo "gato por lebre", isto é apresentando um evangelho falsificado ou diluído para agradar às multidões. Então, precisamos recorrer às Escrituras para não comprar "gato por lebre". Como você pode saber se o evangelho que você tem ouvido na televisão, rádio ou mesmo em alguma igreja, não é falso? O caminho correto é comparar o que você tem ouvido com Evangelho que foi pregado por Cristo e explicado pelos apóstolos nas Escrituras. É importante observar o que está registrado na Bíblia, pois somente a Bíblia oferece o autêntico evangelho. Quando as Escrituras são deturpadas, surgem os falsos evangelhos, os ensinos que são contrários ao padrão bíblico. Então eu gostaria de tratar rapidamente sobre três ensinamentos contrários à Palavra de Deus, que geram falsos evangelhos,Qualquer ensinamento que promete saúde física perfeita nessa vida como resultado da salvação em Cristo é um falso evangelho. Jesus nunca prometeu que os seus seguidores ficariam livres de qualquer problema de saúde e teriam saúde garantida. O crente também sofre de câncer, tem hepatite e pneumonia. E se não for ao médico e tratar corretamente pode morrer destas doenças. Cristo pagou o preço porque o nosso maior problema era o pecado e não doenças físicas. A Sua morte em favor do pecador serviu como livramento da condenação do pecado. Então, se você está ouvindo um evangelho que promete libertar você de seus problemas de saúde, tome cuidado, porque este é um falso evangelho.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Deus concede a Josafá vitória sobre os seus inimigos (2Cronicas 20:14-17)

Então veio o Espírito do SENHOR, no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe, E disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá; assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus. Amanhã descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz, e os achareis no fim do vale, diante do deserto de Jeruel. Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco. 2 Crônicas 20:14-17 História de um livramento grandioso vindo da parte do Senhor para um Rei e para um povo que buscou a sua presença num momento difícil, num momento aonde eles se sentiam indefesos e sem forças perante tão grande multidão de adversários. Um texto bastante conhecido do povo de Deus, muito estudado, muito pregado e que ao longo dos tempos tem edificado muitas vidas. Este relato Bíblico conta a história de um homem de Deus chamado Josafá Rei de Judá e Benjamim conhecido com Reino do Sul, que foi dividido após o reinado de Salomão por causa da idolatria e do pecado. Israel conhecido como as 12 tribos de Jacó (Judá, Simeão, Benjamim, Dã, Efraim, Manassés, Issacar, Zebulom, Aser, Naftali, Gade e Ruben ) foi dividido. Ficando 10 tribos como Reino Norte Israel (Simeão, Dã, Efraim, Manassés, Issacar, Zebulom, Aser, Naftali, Gade e Ruben ). E 2 tribos como Reino Sul (Judá, Benjamim). Um fato interessante sobre Josafá é que assim como Asa seu pai foi fiel ao Senhor, Josafá também foi fiel ao Senhor: E o SENHOR era com Josafá; porque andou nos primeiros caminhos de Davi seu pai, e não buscou a Baalins. Antes buscou ao Deus de seu pai, andou nos seus mandamentos, e não segundo as obras de Israel. E o SENHOR confirmou o reino na sua mão, e todo o Judá deu presentes a Josafá, o qual teve riquezas e glória em abundância. 2 Crônicas 17:3-5 Um fato digno de nota porque nem sempre os filhos andam nos caminhos do Senhor como seus pais, e com os reis de Judá era algo difícil de acontecer. Josafá buscou ao Senhor de todo coração e fez uma limpeza em Judá, abolindo a idolatria do meio do povo, levantando levitas e príncipes para ensinar a nação as leis de Deus, e o mais glorioso é o que diz a Palavra: E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do SENHOR; e foram a todas as cidades de Judá, ensinando entre o povo. 2 Crônicas 17:9 E quando a Palavra de Deus é pregada vemos que o avivamento é certo, vidas são transformadas, verdadeiros adoradores se levantam para glorificar e exaltar o nome do Senhor, e nação cresce e prospera. E veio o temor do SENHOR sobre todos os reinos das terras, que estavam ao redor de Judá, e não guerrearam contra Josafá. E alguns dentre os filisteus traziam presentes a Josafá, e prata como tributo; também os árabes lhe trouxeram gado miúdo; sete mil e setecentos carneiros, e sete mil e setecentos bodes. Cresceu, pois, Josafá grandemente em extremo e edificou fortalezas e cidades de provisões em Judá. 2 Crônicas 17:10-12 Vemos no texto acima Deus honrando a Josafá, havia um temor nas nações ao redor de Judá, vemos até os Filisteus trazendo tributo para Josafá. Aprendo com este texto que a chave da vitória esta na nossa fidelidade ao Senhor, quando estamos realmente nos Seus caminhos, obedecendo e praticando a Sua Palavra vemos a bondade de Deus. Glorifico a Deus pela Bíblia, porque da mesma forma que ela mostra as qualidades dos homens e mulheres de Deus, ela também nos mostra as suas falhas e fraquezas, e com Josafá não foi diferente. Vemos no inicio desta mensagem que Josafá buscou ao Senhor por um livramento, ele pede socorro porque um grande exército se levanta para destruir Judá. E sucedeu que, depois disto, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e com eles outros dos amonitas, vieram à peleja contra Jeosafá. 2 Crônicas 20:1 Mas porque um exército se levantou contra Josafá, se ele era um homem de Deus, se ele mesmo tinha o respeito das nações vizinhas e vemos também na Palavra que o próprio Josafá tinha um exército poderoso. E teve muitas obras nas cidades de Judá, e homens de guerra e valentes, em Jerusalém. E este é o número deles segundo as suas casas paternas; em Judá eram capitães dos milhares: o chefe Adna, e com ele trezentos mil homens valentes; E depois dele o capitão Joanã, e com ele duzentos e oitenta mil; E depois Amasias, filho de Zicri, que voluntariamente se entregou ao SENHOR, e com ele duzentos mil homens valentes; E de Benjamim, Eliada, homem valente, e com ele duzentos mil, armados de arco e de escudo; E depois dele Jozabade, e com ele cento e oitenta mil, armados para a guerra. Estes estavam no serviço do rei; afora os que o rei tinha posto nas cidades fortes por todo o Judá. 2 Crônicas 17:13-19 Se fizermos uma conta simples veremos que Josafá contava com um exército de 1.160.000, ou seja mais de um milhão de soldados, homens de guerra preparados para a batalha. Então vamos a pergunta, porque Josafá temeu? Porque tanto medo? Porque tanta insegurança? A resposta esta num detalhe do texto abaixo: E sucedeu que, depois disto, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e com eles outros dos amonitas, vieram à peleja contra Josafá. 2 Crônicas 20:1 " E sucedeu que, depois disto... " Depois do que? para chegarmos a uma reposta concreta precisamos estudar o capitulo 18 e 19 de 2 Cronicas. E estudando a Palavra vemos que Josafá tomou duas atitudes erradas: Primeiro se aparentou com acabe: Tinha, pois, Jeosafá riquezas e glória em abundância, e aparentou-se com Acabe. 2 Crônicas 18:1 Conhecemos muito bem quem era Acabe, um rei idolatra que juntamente com sua esposa Jezabel exterminava os profetas do Senhor e mergulhou Israel num tempo de idolatria terrível. Conhecemos também Acabe através do confronto de Elias e os 400 profetas de Baal e os 450 profetas de Asera ( 1 Reis 18 ). Portanto não era uma pessoa na qual o Rei Josafá um homem de Deus deveria se aparentar, fazendo isso ele caiu num laço, e vemos no decorrer da história que o filho de Josafá (Jeorão) se casou com a filha de Jezabel (Atalia), e por causa disto quase todos os descendentes da casa de Davi foram mortos ( 2 Cronicas capítulos 21 e 22 ). Segundo participou de uma guerra que não era dele: Porque Acabe, rei de Israel, disse a Jeosafá, rei de Judá: Irás tu comigo a Ramote de Gileade? E ele lhe disse: Como tu és, serei eu; e o meu povo, como o teu povo; iremos contigo à guerra. 2 Crônicas 18:3 Sendo um homem de Deus Josafá não deveria ter participado de uma batalha que não era dele, mesmo buscando a direção de Deus, mesmo recebendo a resposta de que eles seriam derrotados, Josafá entrou numa batalha que quase lhe custou a vida. Aprendo com isso que temos que tomar cuidado com nossas amizades, pois a própria Palavra diz: Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Tiago 4:4 Os servos de Deus tem que servir de testemunho para os pecadores, mas a verdade é que assim como foi com Josafá, muitos tem sido seduzidos pelo mundo, e isto é um laço do inimigo, temos que vigiar porque o diabo nosso adversário esta ao nosso derredor bramando como leão buscando a quem possa tragar ( 1 Pedro 5:8 ). Da mesma forma como Josafá que entrou numa guerra que não era para ele, muitos tem sofrido porque não tem pedido direção para Deus e tem entrado em situações que não eram para entrar, e muito tem orado mas não tem aguardado a resposta de Deus e age por conta própria. Vemos no Capitulo 18 de 2 Cronicas que Josafá foi enganado por Acabe: E disse o rei de Israel a Josafá: Disfarçando-me eu, então entrarei na peleja; tu, porém, veste as tuas roupas reais. Disfarçou-se, pois, o rei de Israel, e entraram na peleja. 2 Crônicas 18:29 Acabe era um sujeito astuto, porque ele havia recebido a profecia de Micaias dizendo que ele iria morrer, e tentou dar um jeito para fugir da profecia se disfarçando de soldado, e ainda por cima convenceu Josafá a ficar com suas vestes reais, jogando Josafá num laço. E aprendemos também neste texto como Josafá estava cego espiritualmente e estava caindo direitinho na cilada do inimigo, vejamos o que diz a Palavra: Sucedeu que, vendo os capitães dos carros a Josafá, disseram: Este é o rei de Israel, e o cercaram para pelejar; porém Josafá clamou, e o SENHOR o ajudou. E Deus os desviou dele. 2 Crônicas 18:31 Por causa da cilada de Acabe, Josafá quase morreu, mas vemos também neste texto a misericórdia de Deus que livrou o seu servo da morte. Josafá clamou ao Senhor, e os soldados inimigos viram que não era Acabe!!! E este tem que ser o clamor daqueles que se afastaram de Deus, tem que buscar ao Senhor enquanto há tempo, Deus que é misericordioso te da o livramento. Você que tem se afastado dos caminhos do Senhor e tem sido seduzidos pelo mundo, volte para Jesus, Ele te ama e não se esqueceu de você. Mas aprendo também com esta Palavra "Quando Deus fala Ele cumpre": Então um homem armou o arco e atirou a esmo, e feriu o rei de Israel entre as junturas e a couraça; então disse ao carreteiro: Dá volta, e tira-me do exército, porque estou gravemente ferido. 2 Crônicas 18:33 Diz a Palavra que um soldado pegou o seu arco na simplicidade e atirou para o alto, sem um alvo definido, e aquela flecha entre milhares de soldados acertou a Acabe que estava disfarçado de soldado e morreu. Deus havia falado pela boca do Profeta Micaias e a profecia se cumpriu. Deus fala, Deus cumpre. Depois vemos Josafá sendo reprendido: E Josafá, Rei de Judá, voltou em paz à sua casa em Jerusalém. E Jeú, filho de Hanani, o vidente, saiu ao encontro do rei Josafá e lhe disse: Devias tu ajudar ao ímpio, e amar aqueles que odeiam ao SENHOR? Por isso virá sobre ti grande ira da parte do SENHOR.Boas coisas contudo se acharam em ti; porque tiraste os bosques da terra, e preparaste o teu coração para buscar a Deus. 2 Crônicas 19:1-3 Depois dessa breve explanação podemos entender o texto completo do capitulo de 2 Cronicas 20. Josafá estava sofrendo um ataque da parte dos moabitas e amonitas, e mesmo tendo um grande exército ele não estava preparado para a batalha, e era necessário um concerto perante o Senhor, e foi exatamente isto que ele fez: Então Josafá temeu, e pôs-se a buscar o SENHOR, e apregoou jejum em todo o Judá. E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá vieram para buscar ao SENHOR. 2 Crônicas 20:3-4 Josafá temeu e buscou ao Senhor, ele reconheceu que somente em Deus que é misericordioso ele poderia vencer os seus inimigos, e na sua fraqueza buscou forças em Deus. Você esta se sentindo fraco? busque forças em Deus, reconheça suas fraquezas, suas falhas e peça socorro e livramento ao Senhor. Josafá apregoou um jejum em toda nação, e todos buscaram ao Senhor. Josafá também buscou refugiu na Palavra de Deus que diz: E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias. 2 Crônicas 7:14-16 Josafá estava na Casa do Senhor ( Templo ), buscando de todo coração, porque havia uma promessa naquele lugar, Deus havia dito que se eles o buscassem naquele lugar, o próprio Deus entraria com a providência, sabe o que isto significa? Significa crer na Palavra, viver a Palavra, tomar posse da Palavra. Depois disto entramos no texto base de estudo, Deus levantou um profeta e disse as palavras abaixo: E disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá; assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus. 2 Crônicas 20:15 Deus entrou na batalha e socorreu o seu povo. Aprendo também nesta passagem bíblica que o livramento veio de forma milagrosa, mas aprendo também que Josafá teve que fazer sua parte. Primeiramente ele creu, diz no versículo 20 que os moradores de Jerusalém levantaram bem cedo e creram no profeta do Senhor. Depois Josafá colocou cantores ( levitas) para louvar ao Senhor e diz a Palavra que quando eles começaram a louvar Deus colocou armadilhas no meio do exército inimigo: E, quando começaram a cantar e a dar louvores, o SENHOR pôs emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados. 2 Crônicas 20:22 Aleluia, vejo nesta Palavra que o louvor é arma de guerra, veja queridos leitores que quando Josafá recebeu a Palavra de vitória ele não ficou em casa dormindo, mas levantou bem cedo, veja também que eles não ficaram de braços cruzados ou dispersos, mas eles começaram a louvar: E aconselhou-se com o povo, e ordenou cantores para o SENHOR, que louvassem à Majestade santa, saindo diante dos armados, e dizendo: Louvai ao SENHOR porque a sua benignidade dura para sempre. 2 Crônicas 20:21 Aprendo com esta Palavra, que Deus não nos quer na passividade de braços cruzados ou dormindo, mas mesmo nesta batalha onde Josafá não precisou guerrear, houve um posicionamento do povo de Deus, eles louvaram ao Senhor. Quer vitória, Louve... Esta triste, louve... Esta desanimado, louve... Esta precisando de um milagre, louve... O louvor é arma de guerra. Aprendo também nesta Palavra que o Povo de Deus ainda no quarto dia estavam louvando e engrandecendo o nome do Senhor: E ao quarto dia se ajuntaram no vale de Beraca; pois ali louvaram ao SENHOR. Por isso chamaram aquele lugar o vale de Beraca, até ao dia de hoje. 2 Crônicas 20:26 E nestes dias eles viverem um grande milagre, todo exercito que queriam mata-los acabaram morrendo, sem que eles precisassem lutar, somente ficaram louvando o nome do Senhor. Encerro este estudo falando sobre o vale de Beraca citado no texto acima, que significa vale de benção, o inimigo pensou que iria derrotar Josafá naquele vale, o inimigo pensou que iria triunfar sobre Judá naquele vale, mas aquele vale que seria para derrota se transformou em vale benção, porque o Senhor transformou o choro em alegria, e a tristeza em vitória, e naquele lugar o Povo de Israel desfrutou as bençãos do Senhor. Não sei qual vale você tem enfrentado na sua vida, talvez você esteja sofrendo muito, mas como um profeta do Senhor eu quero lhe dizer... "Creia na Palavra do Senhor"... Se posicione, busque ao Senhor, se humilhe, reconheça suas fraquezas e temores, reconheça suas limitações, busque a Sua direção, e quando Deus falar com você... LOUVE, LOUVE, LOUVE... Porque a sua benignidade dura para sempre... Que este vale que você esta passando se transforme em vale bençãos em nome de Jesus. A nossa maior vitória foi conquistada na Cruz do Calvário, ali Jesus morreu por nós, derramou o seu sangue para perdoar os nossos pecados e ressuscitou para nos da vida eterna. Não sei o que você tem feito, também não estou aqui para te julgar, mas sim para falar que o Senhor Jesus não esqueceu de você, Ele te ama e quer completar a grande obra na sua vida. Jesus te ama

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Projeto Semear 9 anos

O Maior Amor do Mundo

Quem nesse mundo não deseja amar e ser amado? Ninguém consegue viver sem o amor, nem mesmo aquela pessoa mais “fria”, que diz não estar "nem aí" para isso. Todos nós precisamos! O amor é tão importante que o Apóstolo Paulo afirmou: "Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor" (1 Coríntios 13:13). Existe um determinado momento em que sentimos um grande vazio, que faz com que nossa vida fique incompleta. Mesmo tendo o amor da família e amigos, esse "buraco" em nosso coração não é preenchido até que encontramos o nosso verdadeiro e maior amor: Jesus Cristo. Ele disse: "Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor” (João 15:9). Quando esse tão aguardado encontro acontece, Jesus passa a ser tudo em nossa vida e nenhum outro amor é capaz de substituí-lo. O amor de Jesus é tão grande, tão maravilhoso que, se estamos tristes, é o próprio Mestre quem vem nos consolar. Se estamos felizes, Ele fica feliz ao nosso lado; se estamos perdidos, Ele nos mostra o melhor caminho; se nos sentimos só, Ele toca no nosso ombro e diz "hei, Eu estou aqui", e se o choro vem e nos faltam palavras, Ele não fica nos questionando, mas recolhe cada lágrima nossa. "Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos" (João 15:13). Esse é o amor de Jesus! Um amor que O levou até a cruz. Mesmo depois que seu suor se transformou em sangue, mesmo depois de ser traído, negado, condenado e crucificado, Cristo não reclamou nem recuou; Ele seguiu em frente por amor a mim e a você. Jesus não precisava passar por tudo aquilo que passou. Ele é o Filho do Deus vivo, é santo e não teve pecado algum. Ainda assim, por amor às nossas vidas, Ele suportou tudo, Ele carregou a nossa cruz. Jesus tomou os nossos pecados sobre si e deu a própria vida por todos, inclusive para aqueles que o rejeitaram e ainda o rejeitam. Mesmo pregado naquela cruz, Ele teve amor suficiente para pedir que Deus perdoasse aqueles que haviam o açoitado, cuspido em sua face e colocado em sua cabeça uma coroa de espinhos. Quanto amor! Foi por mim e por você que Ele passou por tudo isso. Hoje Ele nos oferece uma vida abundante e mais do que isso, ao deixarmos que o Seu sangue nos purifique e apague nossos pecados, nós recebemos a vida eterna. Não existe uma pessoa sequer nesta Terra que Jesus não ame. Ele ressuscitou e subiu ao céu, mas o Seu amor continua habitando naqueles que crêem no Seu nome. Ele cuida de cada uma de suas ovelhas e as ama muito (Leia: Jesus, o bom pastor). Por enquanto, só podemos vê-lo com os nossos olhos da fé, porém, um dia Ele voltará para nos buscar e, então, teremos a oportunidade de vê-Lo face a face e viver eternamente ao Seu lado. Existe promessa melhor do que essa? Fonte: http://www.pastorantoniojunior.com.br/mensagens-evangelicas/o-amor-de-jesus-e-maior-que-tudo#ixzz3hnAAkk78