sexta-feira, 31 de julho de 2015

O Sofrimento do Deserto

Mesmo a meio tantas lutas e sofrimento Deus sempre está com Conosco,as vezes nao Entendemos o deserto que estamos Passando e Perguntamos Para Deus porque tanta dor e Sofrimento,mas ele nos coloca em alguns Desertos Para saber Oque temos em Nosso Coraçao.“Assim diz o Senhor, “Eu te coloquei no deserto para saber o que existia em seu coração” Deut. 8.2.Ele sabe de tudo que Acontence Na sua vida,ainda que muitos te julguem ou te critique Deus ele sim te conhece o deserto assusta e traz até tristeza e sofrimento...Dizem que o deserto é a escola de Deus. E, é verdade. O deserto não é um acidente de percurso, mas uma agenda de Deus, a escola do próprio Deus.O deserto é o local onde DEUS trabalha em nós para depois trabalhar através de nós,Nao Desanimes ele cuida de Voce,mas existe desertos que o culpado somos nós de estár nele,,No deserto passamos momentos difíceis, mas não para sermos destruídos, mas para sermos fortalecidos e restaurados. Na escola aprendemos, não é verdade? Da mesma forma, no deserto Deus deseja que aprendamos algumas lições preciosas, uma delas é a seguinte: O deserto não é um lugar definitivo do povo de Deus, e sim uma passagem para uma bela terra que deveria ser conquistada. Que Deus Abençoe a Todos. Pr Luiz carlos santos

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Quando Nao hâ Mais Esperança

Existe Momentos Na Vida que Pensamos que Deus Esqueceu de nós e que as Coisas Nao Vao melhorar,tristezas,decepçoes e Perdas,dor e Desprezo Parece Nao ter fim.Parece que tudo e todos estao contra Nós. !Mas é Nesse Momento de Crise que Deus aparece com seu Amor e com Seu Carinho(Este é o meu consolo no meu sofrimento: A tua promessa dá-me vida. Salmos 119:50)ele vem e firma suas Promessas e Nós dá Esperança e Alegria,trazendo o Conforto com sua Presença(Pois derramarei água na terra sedenta, e torrentes na terra seca; derramarei meu Espírito sobre sua prole e minha bênção sobre seus descendentes. Isaías 44:3) Quando Tudo Parece Nao ter saida Jesus te Diz("Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. João 14:1 Quando Nao hâ Mais esperança Deus Nos dá renovaçao e esperança em Dias de Crise.. Pr Luiz carlos santos

sábado, 25 de julho de 2015

Evangelismo Deus conta Com Voce

<
Estamos sem duvida vivendo uma epoca de muitas dificuldades na area da evangelizaçao em nosso brasil,onde se tem banalizado os metodos evangelistico dos nossos pioneiros,nunca fiquei tao preocupado como hoje,aquele tempo onde a igreja saia pelo bairro com a mocidade e irmaos,culto ar livre, a banda ,a mocidade cantava aqueles belos hinos evangelisticos que saudade,,ainda que sou da nova geraçao anos 90,,mas ainda peguei isso,onde a banda ia nos culto nos lares. que saudade desse tempo,quando o pregador pegava o microfone e falava com ousadia a palavra e jesus salvava e curava,na maioria das vezes o mesmo nao tinha boa leitura mas pregava o verso famoso com alegria,hoje temos teologos com bom conhecimento e bem vestido..com ternos bonitos,nao que seja ruim isso,pelo contrario isso é até bom,,mas .....lembro tambem do evangelsimo pessoal porta a porta.e antes dos cultos nós iamos buscar a pessoa para o culto. Quando o pastor avisava no culto ,dos trabalhos da semana na igreja,os irmaos na sua maioria estavam presentes nos trabalhos,era palestra,oraçao,culto nos lares ..será que esse tempo vai voltar????????? Sei que estamos vivendo os fim dos tempos,,mas ainda a igreja pode fazer a diferença..durante uma aula de escola dominical fiz uma pergunta pra classe na qual eu dou aula...!! podemos ainda viver um avivamento na igreja nos dias atuais ?? e uma irma de 70 anos de idade me respondeu ...nao!! Deus me deu um despertamento muito grande ...e criamos o projeto semear ,chamei agums irmaos despertados ...e 2 vezes por semana sairmos pela cidade de quartel geral,fazendo aquele trabalho porta a porta..e durante 3 dias cultos ar livre noturno..sei que ainda é pouco mas é um inicio....vamos despertar ....Deus conta com você... Pr Luiz carlos

Deus cuida De Voce....

DEUS CUIDA MESMO? Salmo 23. Certa vez ouvi o desabafo de uma mulher divorciada que ficara com o encargo de terminar de criar seus três filhos sozinha, praticamente sem nenhuma pensão do ex-marido. Ela dizia: “Todo mundo pensa que eu sou forte, mas eu não sou forte, não. Eu estou cansada de bancar a forte. Tenho que ser pai e mãe ao mesmo tempo. Além dos meus problemas, as pessoas ainda me procuram para ajudá-las. Eu estou cansada. Eu não sou forte. Eu cuido de todo mundo, mas ninguém cuida de mim. Eu preciso de alguém que cuide de mim”. Alguma vez você já se sentiu assim, cuidando de todo mundo, mas sem ninguém pra cuidar de você? O Rei Davi, autor deste salmo, registra um maravilhoso e eterno testemunho: – O Senhor é o meu pastor! Depois de passar por várias guerras, lutas, rebeliões, graves problemas familiares e um monte de coisas mais, ele olha para trás e percebe que Deus sempre estivera ao seu lado, cuidando dele. Ao dizer “O Senhor é o meu pastor”, na verdade ele está dizendo: DEUS CUIDA DE MIM! Na sua juventude ele tinha sido um pastor de ovelhas, por isso, para retratar o cuidado de Deus sobre a sua vida, o rei Davi traça vários paralelos entre Deus e um pastor de ovelhas exemplar: Deus supre as necessidades básicas dos seus filhos. “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará” – vs 1.Um bom pastor jamais deixava faltar água e alimento para suas ovelhas. Foi o próprio Jesus quem garantiu, em Mateus 6.31-32: “Não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? Ou: Que havemos de beber? Ou: Com que havemos de vestir… Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso”. Tranqüilize seu coração: DEUS CUIDA DE VOCÊ (E DE MIM) 2. Deus conduz os seus filhos. “Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome” – vs. 2-3. Um bom pastor jamais deixava de conduzir suas ovelhas. Sempre à frente, garantia-lhes a segurança. O profeta Isaías afirma(58.11): “O Senhor te guiará continuamente, e te fartará até em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca falham”. Precisamos ser honestos e admitir que às vezes nos sentimos desorientados; mas, uma coisa eu aprendi neste caminho: A direção de Deus em minha vida são como os sinais de trânsito: Uma placa de cada vez, no ponto certo do trajeto. Portanto, caminhemos com fé, até encontrarmos a próxima “placa”, a próxima orientação. Não sofras: DEUS CUIDA DE VOCÊ (E DE MIM). 3. Deus protege os seus filhos – vs. 4. “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. Um bom pastor jamais deixava de proteger suas ovelhas, lutando contra lobos, ladrões e chacais. Mais uma vez, é o profeta Isaías que nos conforta (41.11-14): “Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritam contra ti; tornar-se-ão em nada; e os que contenderem contigo perecerão. Quanto aos que pelejam contigo, buscá-lo-ás, mas não os acharás; e os que guerreiam contigo tornar-se-ão em nada e perecerão. Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei. Não temas, ó bichinho de Jacó, nem vós, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel”. Não temas: DEUS CUIDA DE VOCÊ (E DE MIM). Deus mantém com seus filhos uma relação de amizade. “Preparas uma mesa perante mim, na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda” – vs. 5. (Obs: Esta coisa de preparar uma mesa na presença dos inimigos e ungir a cabeça com óleo, eram partes de um antigo costume que anunciava que ali havia uma aliança, uma forte amizade entre aquelas pessoas).Um bom pastor mantinha com suas ovelhas uma relação de confiança e amizade. O próprio Deus, na pessoa de Cristo nos diz em João 15.15: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer”. Alegre-se, pois, além de suprir nossas necessidades, nos conduzir e nos proteger, DEUS QUER MANTER CONOSCO UMA RELAÇÃO DE AMIZADE. Deus age com bondade e misericórdia para com seus filhos – vs. 6. “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias”. Em Marcos 5.19, há o registro de um destes momentos em que a misericórdia de Deus se manifesta na vida de um homem: “Jesus, porém, não lhe permitiu, mas disse-lhe: Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes o quanto o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti”. Regozije-se, pois DEUS SE IMPORTA COM SEUS FILHOS. DEUS CUIDA DE VOCÊ (E DE MIM) O nosso Deus é o Deus – Que supre; – Que conduz; – Que protege; – Que mantém uma relação de amizade, e; – Age com bondade e misericórdia para com seus filhos. Aleluia! Confiemos e nos alegremos no Senhor. Autor: Pr Franco

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Autor: Antonia Leonora van der Meer Ser missionário é um privilégio, não um fardo intolerável carregado por uns “grandes servos de Deus”. Deus escolhe os pequenos, os fracos, as coisas loucas deste mundo para que a glória seja só dele (1 Co 1.26-29). Mas esse privilégio está ligado ao caminho da renúncia e de levar cada dia a sua cruz, seguindo a Jesus. O sofrimento já faz parte da vida de muitos missionários e, quanto mais penetrarmos nas regiões ainda não alcançadas, mais teremos contato com realidades de grande carência social e espiritual, de conflito com poderes das trevas, de violência, guerra e perseguição. Isso leva ao sofrimento do missionário e de sua família. Porém, muito mais do que isso, o confronto com o sofrimento do povo certamente vai perturbar profundamente o coração do missionário. Como podemos enviar pessoas para lugares onde o sofrimento é uma realidade diária e muito forte? Alguns acham que isso não pode ser a vontade de Deus. Mas como foi que Deus enviou seu Filho? Com que garantia e segurança? Lembremo-nos de que Jesus disse: “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20.21; 15.20). Isso significa correr os mesmos riscos, vencer a mesma resistência, viver com a mesma expectativa de vitória, por meio do caminho da cruz. Como podemos descrever o sofrimento na vida do missionário? Nas horas de guerra violenta que presenciei, o que me chocou mais profundamente foi ver pessoas feridas, caídas nas ruas sem ninguém poder socorrer, e ouvir as histórias das vítimas da guerra nos hospitais. Uma mulher sem braços que perdeu a única irmã, barbaramente violentada. Crianças atingidas por balas enquanto dormiam em sua própria cama. Ver a falta de recursos e a angústia dessas pessoas era profundamente perturbador. Mas Deus precisa de um instrumento para levar sua graça, amor e esperança a essas pessoas. É o sofrimento de saber da angústia de nossa família e não poder fazer nada para tranqüilizá-la. E as coisas sempre parecem piores do que são para quem as acompanha de longe. É o sofrimento de acompanhar o despertamento espiritual, a descoberta da graça de Deus por uma pessoa, que depois aparece mutilada, morta pela própria família. Outro motivo de sofrimento é que as pessoas põem em nós uma carga de esperança de solução para seus problemas muito além das nossas possibilidades. Às vezes nos perguntamos: “O que estou fazendo aqui? Fará alguma diferença esse pouco que posso fazer?” É claro que fará diferença! Cada vida transformada, que recupera a esperança, a alegria e a razão de viver, a consciência de sua dignidade é uma grande vitória. Mas às vezes ficamos angustiados pelo muito que não podemos fazer e que de nós é esperado. Há também os sofrimentos relacionados com a família que deixamos para trás. Muitos lutam e têm a obrigação de deixar pessoas e ministérios que amam para dar apoio aos pais idosos que precisam de sua presença. Outros sentem-se forçados a voltar prematuramente (o coração ainda quer ficar) para não comprometer a educação e o futuro dos filhos. Além disso, há sofrimentos evitáveis, causados pela irresponsabilidade dos que enviam sem apoio verdadeiro, sem orientação e sem fidelidade no sustento financeiro. Isso gera profundas angústias e as igrejas terão de prestar contas a Deus da maneira como tratam os seus obreiros. Qual é a nossa responsabilidade? Não podemos enviar missionários apenas invocando a bênção de Deus e depois lavar as mãos. A obra é nossa, como igreja brasileira. Precisamos estar bem perto de nossos missionários, acompanhando-os diariamente em oração, mantendo contato por e-mail, carta, telefone, de modo responsável (há lugares onde uma carta mal orientada pode causar muitos problemas). Podemos enviar uma pessoa para visitá-los, orar com eles e ouvi-los. Devemos recebê-los com muito carinho, cuidado e atenção quando vêm de férias, para que tenham um bom descanso e renovação física, emocional e espiritual, provendo suas necessidades. (Infelizmente, ainda há igrejas que cortam o sustento durante os meses em que o missionário está no Brasil, pois entendem erroneamente que ele “já não está fazendo o trabalho missionário”.) Assim, há sofrimentos inerentes ao modelo de encarnação deixado por Cristo, para os quais o missionário deve estar preparado. Outros tipos de sofrimento podem ser minorados e é nossa responsabilidade fazê-lo, com carinho e amor pelos que estão na linha de frente. —– Antonia Leonora van der Meer, mais conhecida por Tonica, foi missionária em Angola por dez anos e, agora, é deã do Centro Evangélico de Missões, em Viçosa, Minas Gerais.
A Armadura De Deus Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;porque a nossa luta não é coQuanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.” (Efésios 6:10-18) Quando o ser humano se torna filho de Deus, não somente passa a ser herdeiro das bençãos de Deus como tamém dos inimigos de Deus. O mais ferrenho inimigo de Deus é Satanás, cujo objetivo é destruir todo o trabalho divino (Jo 8:44), mas Jesus veio para “destruir o trabalho do diabo” (1 Jo 3:8). Satanás é um anjo caido (Is 14:12-15) e, como tal, é somente um ser criado. Ele, de modo nenhum, é igual a Deus, o criador. Embora Satanás seja superior ao homem em inteligência e força, não é de maneira nenhuma igual a Deus. Os crentes tem o poder do Cristo ressuscitado dentro de si, o que os protege. (1Jo 4:4) A figura da armadura de Deus é a de um soldado romano colocada e presa ao cinto, de maneira que pudesse lutar e trabalhar sem dificuldade. Viver uma vida honesta e íntegra capacita o cristão a ter o mesmo propósito que Cristo, que é a Verdade, e assim batalhar sem impedimento contra o inimigo, que é um perdedor e um mentiroso. A armadura, normalmente, cobria o corpo do pescoço até a cintura e, usualmente, era feita de bronze. Cristãos não precisam procurar proteção e amparo diante de Deus por obras próprias, podem confiadamente, aceitar o que Cristo fez em seu lugar. Adicionalmente foi dada aos cristãos toda a armadura de Deus para “ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Ef 6:11). Cada peça da armadura deve ser usada para ajudar os crentes a enfrentar as tentações e as ciladas do Maligno: Cinturão da verdade - a cintura ou o abdômen era geralmente vista como a área das emoções. Ao proteger essa área com a verdade admite-se que as emoções creiam na verdade. Muitas vezes, a pessoa acredita em uma mentira por medo ou autopiedade. O cristão deve ter compromisso com a verdade independentemente das repercussões (Jo 8:32,36) Couraça da justiça – o peito geralmente é visto como o lugar onde se encontra a alma. O coração deve ser mantido limpo e justo, pois o pecado sempre dá uma chance para o inimigo. Confissão e perdão baseados no sangue de Cristo limpam o coração. (1 Jo 1:9) Calçado para os pés - sapatos adequados permitem aos pés irem de um lugar para outro. Sandálias com solas reforçadas com pregos fortes, dão firmeza no andar, mesmo em terrenos muito acidentados. A “preparção” tem o sentido de prontidão em compartilhar o evangelho; é o crente estar a serviço do Senhor, que é levar aos outros em tempo oportuno o envangelho da paz e da reconciliação. A clara visão dessa missão mantem o crente orientado para a direção correta.(Mt 28:19-20) Escudo da fé – O escudo era composto por duas partes sobrepostas de madeira, cobertas com pano de linho ou couro, e ligado com ferro. Quando os soldados lutavam lado a lado, eles podiam unir esses escudos formando assim uma longa parede. Encharcados de água serviam tambem como proteção contra lanças inflamadas, que eram colocadas em piche e incendiadas. O escudo da fé oferece os recursos ilimitados da sabedoria e do poder de Deus (Ef 3:16-21) para se vencer os dardos inflamados das tentações e circunstâncias adversas. (1Cor 10:13) Satanás é o acusador (Ap 12:10) e quer lançar dardos inflamados para provocar dúvidas, medo e culpa. A fé é um escudo invisível que rebate essas falsas acusações. (Hb 11:6). Capacete da salvação – o capacete era de bronze revestido de couro para manter-se firme na cabeça. Os cristãos podem manter-se protegidos contra os ataques de Satanás na medida em que se mantêm confiantes na sua posição de filhos de Deus e integrantes de sua família (Jô 1:12-13), separados para os seus propósitos (Rm 15:16; 1Co 1:2; 2Ts 2:13), percebendo a tarefa de santificação divina em sua vida, experimentando o livramento do pecado (Gl 5:16; fp 2:12-13; Cl 1:10). Um capacete protege a cabeça, o cérebro e os pensamentos. A certeza da salvação é uma enorme defesa contra a dúvida, a insegurança e outras obras do inimigo. (1Jo 5:11-13}) Espada do Espírito – A curta espada de dois gumes possibilitava ao soldado, fortemente armado, atacar e abater seu inimigo de perto. A espada do crente pode ser entendida como “suprido pelo Espírito” ou “usado pelo Espírito”. Paulo identifica a espada como sendo a Palavra de Deus (Hb 4:12). Palavra Rhema, provavelmente, se referia a um aspecto específico das escrituras que o Espírito Santo traz à mente para uma necessidade determinada. Jesus usa trechos específicos de Deuteronômio no seu encontro com Satanás, no deserto, e isso exemplificava bem essa afirmação. (MT 4:4,7,10) . A Palavra viva é poderosa e efetiva. (2Tm 3:16-17) Oração no Espírito – A oração não faz parte da armadura, mas recebe status de abrangência. A oração tem de ser constante quando o cristão enfrenta batalhas, pois depois de lutar e vencer pode descansar. A oração abre canal entre nós e Deus e especialmente quando oramos no meio da batalha, nos mantemos em comunicação com nosso General para direcionamento e encorajamento, principalmente quando oramos em mistérios, em línguas, o inimigo fica perdido, pois não entende os comandos do Senhor para nós, pois é o nosso código de guerra e edificação. “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder”. Amntra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.” (Efésios 6:10-18) Quando o ser humano se torna filho de Deus, não somente passa a ser herdeiro das bençãos de Deus como tamém dos inimigos de Deus. O mais ferrenho inimigo de Deus é Satanás, cujo objetivo é destruir todo o trabalho divino (Jo 8:44), mas Jesus veio para “destruir o trabalho do diabo” (1 Jo 3:8). Satanás é um anjo caido (Is 14:12-15) e, como tal, é somente um ser criado. Ele, de modo nenhum, é igual a Deus, o criador. Embora Satanás seja superior ao homem em inteligência e força, não é de maneira nenhuma igual a Deus. Os crentes tem o poder do Cristo ressuscitado dentro de si, o que os protege. (1Jo 4:4) A figura da armadura de Deus é a de um soldado romano colocada e presa ao cinto, de maneira que pudesse lutar e trabalhar sem dificuldade. Viver uma vida honesta e íntegra capacita o cristão a ter o mesmo propósito que Cristo, que é a Verdade, e assim batalhar sem impedimento contra o inimigo, que é um perdedor e um mentiroso. A armadura, normalmente, cobria o corpo do pescoço até a cintura e, usualmente, era feita de bronze. Cristãos não precisam procurar proteção e amparo diante de Deus por obras próprias, podem confiadamente, aceitar o que Cristo fez em seu lugar. Adicionalmente foi dada aos cristãos toda a armadura de Deus para “ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Ef 6:11). Cada peça da armadura deve ser usada para ajudar os crentes a enfrentar as tentações e as ciladas do Maligno: Cinturão da verdade - a cintura ou o abdômen era geralmente vista como a área das emoções. Ao proteger essa área com a verdade admite-se que as emoções creiam na verdade. Muitas vezes, a pessoa acredita em uma mentira por medo ou autopiedade. O cristão deve ter compromisso com a verdade independentemente das repercussões (Jo 8:32,36) Couraça da justiça – o peito geralmente é visto como o lugar onde se encontra a alma. O coração deve ser mantido limpo e justo, pois o pecado sempre dá uma chance para o inimigo. Confissão e perdão baseados no sangue de Cristo limpam o coração. (1 Jo 1:9) Calçado para os pés - sapatos adequados permitem aos pés irem de um lugar para outro. Sandálias com solas reforçadas com pregos fortes, dão firmeza no andar, mesmo em terrenos muito acidentados. A “preparção” tem o sentido de prontidão em compartilhar o evangelho; é o crente estar a serviço do Senhor, que é levar aos outros em tempo oportuno o envangelho da paz e da reconciliação. A clara visão dessa missão mantem o crente orientado para a direção correta.(Mt 28:19-20) Escudo da fé – O escudo era composto por duas partes sobrepostas de madeira, cobertas com pano de linho ou couro, e ligado com ferro. Quando os soldados lutavam lado a lado, eles podiam unir esses escudos formando assim uma longa parede. Encharcados de água serviam tambem como proteção contra lanças inflamadas, que eram colocadas em piche e incendiadas. O escudo da fé oferece os recursos ilimitados da sabedoria e do poder de Deus (Ef 3:16-21) para se vencer os dardos inflamados das tentações e circunstâncias adversas. (1Cor 10:13) Satanás é o acusador (Ap 12:10) e quer lançar dardos inflamados para provocar dúvidas, medo e culpa. A fé é um escudo invisível que rebate essas falsas acusações. (Hb 11:6). Capacete da salvação – o capacete era de bronze revestido de couro para manter-se firme na cabeça. Os cristãos podem manter-se protegidos contra os ataques de Satanás na medida em que se mantêm confiantes na sua posição de filhos de Deus e integrantes de sua família (Jô 1:12-13), separados para os seus propósitos (Rm 15:16; 1Co 1:2; 2Ts 2:13), percebendo a tarefa de santificação divina em sua vida, experimentando o livramento do pecado (Gl 5:16; fp 2:12-13; Cl 1:10). Um capacete protege a cabeça, o cérebro e os pensamentos. A certeza da salvação é uma enorme defesa contra a dúvida, a insegurança e outras obras do inimigo. (1Jo 5:11-13}) Espada do Espírito – A curta espada de dois gumes possibilitava ao soldado, fortemente armado, atacar e abater seu inimigo de perto. A espada do crente pode ser entendida como “suprido pelo Espírito” ou “usado pelo Espírito”. Paulo identifica a espada como sendo a Palavra de Deus (Hb 4:12). Palavra Rhema, provavelmente, se referia a um aspecto específico das escrituras que o Espírito Santo traz à mente para uma necessidade determinada. Jesus usa trechos específicos de Deuteronômio no seu encontro com Satanás, no deserto, e isso exemplificava bem essa afirmação. (MT 4:4,7,10) . A Palavra viva é poderosa e efetiva. (2Tm 3:16-17) Oração no Espírito – A oração não faz parte da armadura, mas recebe status de abrangência. A oração tem de ser constante quando o cristão enfrenta batalhas, pois depois de lutar e vencer pode descansar. A oração abre canal entre nós e Deus e especialmente quando oramos no meio da batalha, nos mantemos em comunicação com nosso General para direcionamento e encorajamento, principalmente quando oramos em mistérios, em línguas, o inimigo fica perdido, pois não entende os comandos do Senhor para nós, pois é o nosso código de guerra e edificação. “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder”. Am ais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.” (Efésios 6:10-18) Quando o ser humano se torna filho de Deus, não somente passa a ser herdeiro das bençãos de Deus como tamém dos inimigos de Deus. O mais ferrenho inimigo de Deus é Satanás, cujo objetivo é destruir todo o trabalho divino (Jo 8:44), mas Jesus veio para “destruir o trabalho do diabo” (1 Jo 3:8). Satanás é um anjo caido (Is 14:12-15) e, como tal, é somente um ser criado. Ele, de modo nenhum, é igual a Deus, o criador. Embora Satanás seja superior ao homem em inteligência e força, não é de maneira nenhuma igual a Deus. Os crentes tem o poder do Cristo ressuscitado dentro de si, o que os protege. (1Jo 4:4) A figura da armadura de Deus é a de um soldado romano colocada e presa ao cinto, de maneira que pudesse lutar e trabalhar sem dificuldade. Viver uma vida honesta e íntegra capacita o cristão a ter o mesmo propósito que Cristo, que é a Verdade, e assim batalhar sem impedimento contra o inimigo, que é um perdedor e um mentiroso. A armadura, normalmente, cobria o corpo do pescoço até a cintura e, usualmente, era feita de bronze. Cristãos não precisam procurar proteção e amparo diante de Deus por obras próprias, podem confiadamente, aceitar o que Cristo fez em seu lugar. Adicionalmente foi dada aos cristãos toda a armadura de Deus para “ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Ef 6:11). Cada peça da armadura deve ser usada para ajudar os crentes a enfrentar as tentações e as ciladas do Maligno: Cinturão da verdade - a cintura ou o abdômen era geralmente vista como a área das emoções. Ao proteger essa área com a verdade admite-se que as emoções creiam na verdade. Muitas vezes, a pessoa acredita em uma mentira por medo ou autopiedade. O cristão deve ter compromisso com a verdade independentemente das repercussões (Jo 8:32,36) Couraça da justiça – o peito geralmente é visto como o lugar onde se encontra a alma. O coração deve ser mantido limpo e justo, pois o pecado sempre dá uma chance para o inimigo. Confissão e perdão baseados no sangue de Cristo limpam o coração. (1 Jo 1:9) Calçado para os pés - sapatos adequados permitem aos pés irem de um lugar para outro. Sandálias com solas reforçadas com pregos fortes, dão firmeza no andar, mesmo em terrenos muito acidentados. A “preparção” tem o sentido de prontidão em compartilhar o evangelho; é o crente estar a serviço do Senhor, que é levar aos outros em tempo oportuno o envangelho da paz e da reconciliação. A clara visão dessa missão mantem o crente orientado para a direção correta.(Mt 28:19-20) Escudo da fé – O escudo era composto por duas partes sobrepostas de madeira, cobertas com pano de linho ou couro, e ligado com ferro. Quando os soldados lutavam lado a lado, eles podiam unir esses escudos formando assim uma longa parede. Encharcados de água serviam tambem como proteção contra lanças inflamadas, que eram colocadas em piche e incendiadas. O escudo da fé oferece os recursos ilimitados da sabedoria e do poder de Deus (Ef 3:16-21) para se vencer os dardos inflamados das tentações e circunstâncias adversas. (1Cor 10:13) Satanás é o acusador (Ap 12:10) e quer lançar dardos inflamados para provocar dúvidas, medo e culpa. A fé é um escudo invisível que rebate essas falsas acusações. (Hb 11:6). Capacete da salvação – o capacete era de bronze revestido de couro para manter-se firme na cabeça. Os cristãos podem manter-se protegidos contra os ataques de Satanás na medida em que se mantêm confiantes na sua posição de filhos de Deus e integrantes de sua família (Jô 1:12-13), separados para os seus propósitos (Rm 15:16; 1Co 1:2; 2Ts 2:13), percebendo a tarefa de santificação divina em sua vida, experimentando o livramento do pecado (Gl 5:16; fp 2:12-13; Cl 1:10). Um capacete protege a cabeça, o cérebro e os pensamentos. A certeza da salvação é uma enorme defesa contra a dúvida, a insegurança e outras obras do inimigo. (1Jo 5:11-13}) Espada do Espírito – A curta espada de dois gumes possibilitava ao soldado, fortemente armado, atacar e abater seu inimigo de perto. A espada do crente pode ser entendida como “suprido pelo Espírito” ou “usado pelo Espírito”. Paulo identifica a espada como sendo a Palavra de Deus (Hb 4:12). Palavra Rhema, provavelmente, se referia a um aspecto específico das escrituras que o Espírito Santo traz à mente para uma necessidade determinada. Jesus usa trechos específicos de Deuteronômio no seu encontro com Satanás, no deserto, e isso exemplificava bem essa afirmação. (MT 4:4,7,10) . A Palavra viva é poderosa e efetiva. (2Tm 3:16-17) Oração no Espírito – A oração não faz parte da armadura, mas recebe status de abrangência. A oração tem de ser constante quando o cristão enfrenta batalhas, pois depois de lutar e vencer pode descansar. A oração abre canal entre nós e Deus e especialmente quando oramos no meio da batalha, nos mantemospastor luiz carlos santos em comunicação com nosso General para direcionamento e encorajamento, principalmente quando oramos em mistérios, em línguas, o inimigo fica perdido, pois não entende os comandos do Senhor para nós.

Modismo gospel

A Crise Espiritual Nao está somente no mundo! Essa crise tambem Chegou entre os Evangelicos do Brasil,vivemos uma Epoca de modismo e ecumenismo Onde Nao valoriza Mais o estudo da palavra Muitas Igrejas abadonaram as Escola Dominicais e culto de ensino,as Vigilias sao na Verdade reunioes de cantorias e comilanças(oraçao nada) Cantores e Pregadores mercantilista,sem Falar nos Profetas que só profetiza coisas Boas e triunfalistas,vivemos sem Duvida uma Crise Para aqueles que amam a Palavra. Um Praga chamada confissao Positiva chegou em Muitas Igrejas e Até Mesmo Nas Assembleias de Deus,Esses Dias fiquei assustado com um Pregador que Disse que depois que a Igreja liberou os Crentes a Usar o que quer(roupas)disse que a Igreja Melhorou,eu Nao vejo mais batismo com Espirito santo,nao vejo Mais evangelismo pessoal,culto nos lares,culto ar livre,hoje é só festa,comidas e muita reuniao ..Deus tem misericordia de Nós.que Deus Abençoe a todos.. Pr luiz carlos

Música na igreja .

Música na igreja ... Um tema bem vivido hoje em dia na humanidade, música na igreja. Hoje a música tem uma febre imensa sobre a humanidade, uma febre que as coisas até confundidas estão sendo, como ? Estamos vivendo em um tempo que as pessoas tratam a música como qualquer coisa como abrir a boca e cantar qualquer coisa ou fazer alguma coisa com a voz e daí pensa que já é cantar, hoje em dia muito difícil se achar adoradores, temos muitos cantores que a maioria das vezes vem até de fora por ver que o mercado é grande fazem um pouco de sucesso e já acham que são o rei da cocada preta ( desculpem minha expressão ) hoje para se dizer que tem adoradores e muito difícil, as pessoas usam igrejas como comércios, não fazem mais nada para Deus só para divulgação de tal trabalho e dinheiro.. Junior Lima

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Testemunho Sandra Silva..

Pra quem, conhece o evangelho desde pequeno pra quem nasceu no berço evangélico só precisava continuar firme a cada dia só que as amizades ou até mesmo curiosidades desagradáveis que nos leva a querer o que não precisamos e de alguma forma faz pensarmos que podemos encontrar coisas novas lá fora ,e assim eu fui nessa procura novas coisas procurei alegrias e quando percebi já estava longe demais e me peguei olhando pra traz e falta forças impedições amigos , desejos ,não saiam de mim do coração do pensamento e cada dia me entristeci cada festa cada musica me alegrava mais sempre tinha brigas sempre tinha alguém pra me colocar pra baixo e assim a alegria durava pouco demais todos os dias que ia a Igreja me faltava forças me via diferente e excluída como alguém que não fazia mais parte .. e a tristeza eram rotinas desânimos , as Ilusões iam corroendo cada esperança cada alegria era impossível não chorar pois faltava alo em mim .. e um Belo Dia fui numa igreja praticamente que era de frente da minha casa, ouvi a Palavra e falava de todos meus Problemas . Lembro como se fosse ontem Me disse vejo em teus olhos uma tristeza tão grande e ali chorei chorei como nunca , e me disse toda essa mágoa essa tristeza era ir embora hoje porque Deus vai secar cada lágrima ele Te Ama e te quer ira cuidar de você e levantei as mãos e voltei pro meu senhor e ja faz 1 ANO e 4 Meses que tomei essa decisão e cada dia estou mais feliz com Cristo hoje sou regente das Crianças onde congrego faço Parte da Mocidade e cada Dia Deus me proporciona esta nos seus caminhos não é fácil mais iremos firmes e com bom animo que forças Deus nos Dará. Sandra Silva Assembleia De Deus Min. Vale das Virtudes sp

O ministério da música e o Cristão.

O ministério da música e o Cristão. A música está presente no mundo todo diversos estilos, ritmos e etc. várias pessoas cantam, tocam instrumentos outras até fazem seus próprios instrumentos. A parte musical também é uma inspiração dada por Deus. Através dela foi composta os mais belos salmos por Davi acompanhado de sua harpa. Na igreja independente da denominação a música é considerada um ministério, hoje em dia muitos jovens não tem o costume de ler bíblia, sair para evangelizar ir a um culto de doutrina Ou seja, não tem desejo de envolver-se mais na obra de Deus. Mas como o ministério musical pode ajudar os jovens a ter mais comunhão com Deus ?; Vou lhes contar um pouco da minha convivência com Deus através da música. Desde pequeno quando estava no culto não prestava atenção direito na palavra ou algo do tipo, só queria saber de ficar olhando os músicos, isso me chamava atenção pois ficava imaginado se um dia eu iria fazer parte da banda também. Por volta dos meus 15 anos, comecei a fazer aula de música na minha congregação mesmo, meu desejo sempre foi aprender violão, mas, na época não havia professor de violão, então foi me feito a proposta de aprender a tocar teclado e aceitei, mas era novidade para mim pois nunca passou em minha mente aprender um instrumento com teclas. No começo tinha muita dificuldade, mas não desisti, fui estudando até conseguir desenvolver o máximo possível. O primeiro dia que toquei na igreja foi um culto de quarta feira igreja quase vazia, ensaiei 3 hinos da harpa em casa e perguntei ao pastor local se ele poderia cantar os 3 hinos que eu havia ensaiado e ele concordou pois ele queria me ajudar também no meu crescimento musical. A partir desse dia comecei a me interessar mais em música o tempo foi passando aprendi a tocar outros instrumentos violão, guitarra e contra - baixo e senti que minha vida com Deus estava melhor. Meu desejo de estar na igreja era maior, de estar aos pés de jesus e adora-lo mais e mais. É possível sim se apegar mais a Deus através da música. Você jovem que está parado na igreja e tem vontade de cooperar na igreja faça um proposito com Deus, peça orientação ao seu pastor, comece a se interagir com os músicos, isso vale também para os que já tocam e estão parados também. Volte ao trabalho musical, de o seu melhor para jesus, se entregue de corpo e alma para ele. Garanto que o ministério da música irá ajudá-lo a você que tem o desejo de aproximar-se mais ao Senhor Jesus. Deus abençoe...Hildiram musico da Igreja Assembleia de Deus Min,Vale das virtudes sp

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Unçao Em Tempos de Crise

!Sem Duvida Vivemos em Uma epoca de crise,onde nunca se Ouviu tanto clamor,O Ser humano está cada vez mais Longe de Deus,nunca ouve tanto suicidios e assasinatos como Nos Dias atuais. Deus Precisa de Homens e Mulheres cheio do Espirito santo e de Coragem,O Mundo Nao precisa desse Evangelho fantasioso e modista como este que estamos vendo No Brasil,um evangelho sem Fundamento e sem Alegria fundamentado em confissao positiva e sem conteudo,Deus quer Mudar o Mundo atravez do Evangelho que Salva e Transforma o Pecador,Deus precisa de Voce nesse Tempo de Crise e sofrimento,Jesus é essa soluçao,Mas o Jesus que nao cobra pra Abençoar,que Nao precisa de vale de sal ou lenço molhado com suor de Homem. Nunca se Viu tantos movimentos sem Logica,onde ensinam que O Homem se Torna um Semi deus.Jesus precisa de Você,ele te Escolher e te capacitou Para anunçiar essa Palavra que cura e que salva Pr Luiz carlos

terça-feira, 21 de julho de 2015

Estamos volta de Após 2 Ano! Criamos esse Blog em Meados de 2009! Na epoca foi muito sofrido e trabalhoso devido a nossa falta de estrutura e esperiençia e sem duvida sobre muita persiguiçao e ataques! Nao desistimos e vamos Lutar Para voltar ser um dos blog mais visitados cono foi em 2010 ,com divulgaçao do projeto Semear ..que Deus abençoe a todos..
Caro leitor, essa é uma questão bastante complexa. Talvez a resposta a essa pergunta seja sim e não. Eu explico. O pecado, aos olhos de Deus, é uma ofensa a Sua santidade e, por isso, traz sobre nós condenação. Desde aquele que nós consideramos leve, como uma mentira, até aquele que consideramos grave, como um assassinato. Desse ponto de vista, Deus trata o pecado de forma uniforme. Todos os tipos de pecados levam o homem a condenação e ofendem a Deus. Nas listas de pecados mencionadas na Bíblia, eles são citados um após o outro, sem uma escala de maiores ou menores pecados. Observe que a glutonaria (comer exageradamente) está na mesma lista que a prostituição. Veja: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gl 5. 19-21) A Bíblia quando fala do resultado que o pecado provoca em nosso relacionamento com Deus, também não separa os tipos de pecado em maiores ou menores, mas os agrupa numa mesma ordem de importância perante Deus. Veja: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” (Isaías 59. 2). Nessa primeira parte, então, não existe pecadinho e pecadão para Deus. Todo pecado, maior ou menor, fere a santidade de Deus e traz condenação a quem o praticou. Na segunda parte veremos que há sim pecados maiores e menores aos olhos de Deus. Devemos considerar que alguns pecados têm circunstâncias agravantes que os fazem mais odiosos aos olhos de Deus. São pecados que trazem em si agravantes que pesam no julgamento de Deus que é justo.