terça-feira, 23 de outubro de 2012

NESTA GUERRA VOCÊ NÃO VAI PELEJAR!

“Logo que começaram a cantar, o Senhor Deus causou confusão entre os moabitas, os amonitas e os edomitas, e ele foram derrotados.” 2 Crônicas 20:22 O capítulo 20 de II Crônicas fala de um momento delicado na história de Josafá: um exército enorme vinha do outro lado do mar para atacar o povo de Judá. Aquele exército era composto por homens adestrados para guerra. A palavra diz que Josafá ficou com medo e foi orar a Deus e convocou todo o povo a orar a jejuar. Então, Deus usou um profeta para dizer liberar uma palavra: nesta luta vocês não terão que pelejar, fiquem quietos pois eu vou pelejar por você. Então a ordenança de Josafá foi que o povo começasse a marchar e adorar ao Senhor. Eles deveriam apenas adorar, não iriam lutar. Com certeza os comandantes acostumados com guerra pensaram: não se vence guerra dessa maneira, isso é loucura. Mas Josafá entendeu que aquela era uma direção dada por Deus e falou ao povo para não temer pois eles estariam seguros. Em determinadas situações de nossas vidas, Deus age da mesma forma. Ele nos diz: abaixe as armas, pois não é você que vai pelejar. Sou eu que vou lutar por você. Imagine essa situação. O povo adorava enquanto um exército vinha contra eles. Cantar louvores quando tudo vai bem é fácil, mas adorar em meio a dificuldade é um grande desafio. Quando temos um problema, costumamos focalizar toda a nossa oração em cima do problema. Contudo, muitas vezes, o que nos traz crescimento é erguer uma oração de adoração ao Senhor. Estamos no fim de ano e chegou a hora de levantar um altar de oração e adoração ao Senhor. Precisamos levantar um culto em nossas casas. Nosso culto não pode ser apenas em nossa igreja, precisamos adorar ao Senhor em nossa casa. Quando Deus te disse que Ele irá pelejar por você, confie! Humanamente é impossível vencer uma guerra apenas cantando. E talvez que possa parecer loucura deixar que Deus peleje por nós, mas precisamos crer na direção do Senhor. Josafá creu e no versículo 22 nos fala que o exército dos inimigos foi destruído completamente. Deus deseja que você deixe Ele pelejar por sua vida! Deus te diz para levantar um altar de adoração em sua casa, pois Ele quer pelejar por sua vida, e vai te dar a vitória em todos os seus caminhos. Faça de Deus o centro de sua casa e de sua vida, e com certeza será suprido, cuidado e verá os milagres do Senhor. Creia: O Senhor é o Deus que age quando tudo parece impossível. Não precisamos procurar explicação, devemos buscar viver as surpresas de Deus e deixar que Ele peleje por nós. Apenas erguer um altar de adoração parecia um direção absurda, mas aquele povo não procurou explicação, apenas creu na direção do Senhor. Comece a adorar pois a glória do Senhor irá descer sobre a sua vida. Nosso Deus é um Deus provedor, abençoador e levantar o exército Dele em nosso favor. Decida começar seu ano de 2012 assim: levante um altar de adoração, priorize ao Senhor e coisas Pr Luiz carlos extraordinárias irão acontecer.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A humildade cristã

A humildade cristã Capítulo 18: 1-14 Os discípulos discutiam entre si quem era o maior entre eles, em sua jornada de volta a Cafarnaum (Marcos 9:34 e Lucas 9:46) (evidentemente não reconheciam que fosse Pedro, como quer a tradição romana). Vieram então ao Senhor e perguntaram "Quem é o maior no Reino dos céus?" Entrevemos já aqui a possibilidade de ambição e mesmo partidarismo entre eles. Tinham ainda muito que aprender, e estavam presos aos interesses e padrões que conheciam no mundo. Para ilustrar o que ia lhes ensinar, o Senhor chamou a si um menino e o colocou entre eles. Era ainda muito pequeno, pois Marcos nos diz que Ele o tomou em seus braços. Assim também o pecador arrependido ouve o Seu chamado e vem humildemente para receber a Sua proteção. O Senhor Jesus então assegurou aos Seus discípulos que, quem deles não se convertesse e se tornasse como criança, jamais entraria no Reino dos céus. Esse é o primeiro passo para a salvação da alma de todo o pecador, sem o qual não terá entrada no céu, muito menos terá alguma posição exaltada no Seu reino. A conversão consiste numa mudança completa de rumo, a negação de si mesmo e o recebimento de Cristo como seu Salvador e Senhor. É o que chamamos o "novo nascimento", que o Senhor explicou ao fariseu Nicodemos (João 3:1-21) um novo nascimento espiritual. Tornar-se como criança não quer dizer que um adulto deve passar a agir com infantilidade, abandonando a seriedade adquirida pela sua experiência. Nem é pensar como criança, voltando à ingenuidade. A virtude existente numa criança à qual o Senhor se referia era a sua humildade. Humildade não é considerada pelo mundo como uma virtude, ao contrário, os humildes são colocados para trás e espezinhados. São os menos importantes em nossa sociedade, os menos respeitados, os menos influentes. Os humildes do mundo são destinados a servir os demais, não a tomar posições de comando. O Senhor acrescentou que "quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus". Mais tarde, Ele diria aos Seus discípulos "O maior dentre vós será vosso servo." No âmbito espiritual, os valores se invertem, pois quem mais serve aos outros é o maior de todos. Ficou assim respondida a pergunta feita pelos discípulos. Não sabemos ao certo se todos os discípulos já haviam se convertido. Judas Iscariotes provou pela sua ação mais tarde que ele não havia. Mas todo o pecador tem que se humilhar, reconhecer a sua culpa de pecado diante de Deus, e receber o perdão que lhe é dado gratuitamente por fé no Senhor Jesus. Com isso ele começa uma nova vida, como uma criança, aprendendo da Palavra de Deus, e dos mestres que são mais experientes, a crescer no conhecimento de Cristo. A bagagem intelectual que tinha antes passa a ter pouco valor, mas tudo aquilo do que dispõe deve ser colocado a serviço do Senhor. Na igreja de Deus os de maior autoridade são os que mais servem: os que estão na direção de uma igreja local (chamados presbíteros, bispos ou anciãos) estão ali para servir, "apascentar o rebanho" (1 Pedro 5:2,3), os demais, que têm uma função dentro da igreja, são chamados "diáconos", que se traduz como "servo", ou "mensageiro". Em seguida, o Senhor comentou sobre a espécie de tratamento que é dado a um menino como aquele: pode ser uma acolhida, ou pode ser um tropeço. O menino era ainda indefeso, inexperiente, dependente dos mais velhos, e precisava ser ensinado. É a mesma situação inicial do pecador que se converte e começa uma vida nova em Cristo. Tendo se humilhado para nascer de novo pela fé, o novo crente precisa de tanto apoio, ensino, proteção e encorajamento quanto uma criança. É uma fase muito vulnerável em suas vidas. Portanto, o Senhor Jesus continuou a usar do mesmo paralelismo para as duas situações. Ele declarou que, qualquer que receber em Seu nome uma pessoa como aquela criança, estará recebendo a Ele. É uma séria advertência para não desprezarmos os novos convertidos. O novo convertido não só precisa, mas merece muito mais da nossa atenção do que aqueles que se acham adultos, bem instruídos e convencidos. A ajuda que lhe dermos vale como se fosse para o próprio Senhor Jesus, tal a importância que o Senhor lhe dá. Por outro lado, para quem fizer tropeçar um novo crente no Senhor Jesus, seria preferível amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar. Fazer tropeçar é conduzir ao pecado, ou de qualquer outra maneira prejudicá-lo em sua nova vida. A figura da pedra de moinho enfatiza o mal cometido, pois: A pedra era tão grande e pesada que precisava ser movimentada por animal de carga, como um asno. Afogar era uma punição usada pelos gentios, nunca pelos judeus, para quem o mar era um lugar perigoso e afogamento era uma morte das mais trágicas. Não há nada pior do que destruir a inocência de uma criança, e conduzi-la ao pecado. É como espalhar uma doença contagiosa de propósito. No mundo o pecado existe, e as tentações para se cometer o pecado estão por toda a parte. São inevitáveis e nada se pode fazer para impedi-los ou evitar que as crianças ou crentes novos sejam expostos a eles. Mas outra coisa é ser o próprio agente de corrupção para provocar a queda desses pequenos. É preferível mutilar-se, se com isso ele puder evitar cometer tal ofensa. Para Deus, esses pequenos humildes são tão importantes, que os seus anjos nos céus estão sempre "vendo a face" do nosso Pai celeste. A expressão "vendo a face" era comum, e derivava do protocolo dos monarcas antigos, onde somente os cortesãos, ministros e as pessoas mais importantes podiam se aproximar da pessoa do rei. Também os anjos dos humildes pequeninos têm esse privilégio de se chegarem bem perto de Deus Pai. Finalmente, o Senhor Jesus contou uma parábola para ilustrar o amor de Deus para com o pecador perdido, cujo pecado foi perdoado e que, submisso, agora está gozando da proteção de Deus. A ilustração demonstra que um pastor de ovelhas acaba ficando mais contente com uma ovelha que se perdeu e que ele acabou encontrando, do que com todas as outras noventa e nove do seu rebanho. A alegria não foi porque a ovelha se perdeu e lhe deu oportunidade de ir procurá-la, é claro, mas sim porque ela foi achada. Assim também Deus não deseja que ninguém entre os seus pequeninos se perca. A parábola nos ensina várias coisas a respeito do amor de Deus: É individual. Havia noventa e nove ovelhas em segurança, mas o pastor procurou uma só que estava perdida. Deus não se satisfaz até que o último perdido é recolhido para Si. É paciente. A ovelha pode se perder tolamente, mas o pastor ainda arrisca sua vida para acha-la. O pecador pode ser tolo, sendo culpado pela sua própria situação, mas Deus ainda o ama. É ativo. O pastor não esperou que a ovelha voltasse, mas foi procurá-la. Deus mandou seu Filho para buscar e salvar os perdidos. É de regozijo. Só houve alegria do pastor, sem recriminações à ovelha. Deus apaga nossos pecados e só permanece alegria. É protetor. O pastor procurou e salvou a ovelha. O amor de Deus salva o homem da pena, do poder e finalmente da presença do pecado, tornando-o vencedor.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Deserto, lugar de conquistarmos grandes vitórias

Deserto, lugar de conquistarmos grandes vitórias Texto ( Ex 13: 18a) “Assim Deus fez o povo redear pelo caminho do deserto”. Introdução Deserto é um lugar terrível, de difícil acesso, lugar de pavor, de medo de grande desespero. Ninguém gostaria de viver no deserto, mas a ocasiões em nossas vidas que somos levados para o deserto, por nossas próprias atitudes, ou porque Deus nos leva para nos mostrar alguma coisa. Deserto é um lugar de sofrimento, mais também, é um lugar que adquirimos, experiência, conhecimento, onde a nossa fé é provada. No deserto conquistamos grandes vitórias. Como se comportar no deserto? Podemos extrair algumas lições importantes para o nosso crescimento espiritual, de como, se comportar no deserto, baseado na caminhada do povo de Deus pelo deserto. Como se comportar no deserto? NO DESERTO, VOCÊ PODE CONTAR COM A PROTEÇÃO DE DEUS ” O Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite”. ” O Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite”. Em (Ex 13: 17-18) está escrito que foi o próprio Deus quem levou o seu povo para o deserto. “Tendo Faraó deixado ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, posto que mais perto, pois disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e tornem ao Egito. Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto”. Quero te dizer que não importa se você está no deserto, pelas suas próprias atitudes, ou porque Deus te levou para o deserto para te mostrar alguma coisa, o que importa é que no deserto você pode contar com a proteção de Deus na sua vida. O Senhor ia adiante do seu povo numa coluna de nuvem durante o dia, e numa coluna de fogo durante a noite. Assim Deus está com você, por onde quer que você passar o Senhor te guardará, Ele será a tua proteção, Ele guiará os seus passos para você não tropeçar. Não importa qual seja o deserto que você está vivendo, seja: financeiro, emocional, espiritual, Deus é a tua proteção, Deus providenciará a tua vitória neste deserto porque Ele é a tua proteção. Como se comportar no deserto? NO DESERTO, SAIBA QUE DEUS ESTARÁ POR PERTOR, PARA TE GUARDAR E TE PROTEGER DO INIMIGO (Ex 13:22) “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite”. As vezes, você pode achar que está sozinho, ou que Deus não se importa com você, não, não pense assim, porque o Senhor te ama. Não é porque você está sofrendo, ou porque está passando por situações difíceis, e até mesmo, já chegou no fundo do poço, e você tem olhado em sua volta e não tem enxergado que Deus está com você, devido as dificuldades, os problemas, e por causa das lutas que são tantas, ou devido o fato de você está no deserto, e o sofrimento é tanto que você sente uma sensação de abandono, mas nesta hora tão difícil da sua vida, mesmo você não percebendo, porque a dor é grande, e pelo fato do deserto, não permitir que você possa ver as coisas como verdadeiramente elas são, Deus manda te dizer, que Ele está passando pelo teu deserto nesta hora, pelo deserto da tua vida e você poderá contar com o livramento que o Senhor te dará, porque Ele é um Deus presente e sempre estará por perto. Como se comportar no deserto? NO DESERTO, VOCÊ PODE CONTAR COM A SOBERANIA DE DEUS (Ex 14:4) “Endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo seu exército; e saberão os egípcios que eu sou o Senhor”. “Endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo seu exército; e saberão os egípcios que eu sou o Senhor”. Deus permitiu que Faraó persegui-se o seu povo, Foi o próprio Deus quem colocou o seu povo num beco sem saída, mas com tudo isto, o Senhor mostraria para o inimigo de seu povo, e principalmente para Israel, que todo poder está nas suas mãos. Faraó quando soube que Israel fugia, ele ficou furioso e reuniu o seu exército para perseguir o povo de Deus. Se você está sendo perseguido, o inimigo quer te destruir, acabar com você, com sua família, destruir com a sua vida, neste deserto você pode contar com a soberania de Deus, com o poder de Deus, Ele agirá e você verá o livramento do Senhor, Deus mostrará para os seus inimigos e para aqueles que querem ver o seu mal, a sua destruição que Ele é o teu Deus e nada, mais nada te acontecerá, porque as mão protetoras e onipotente do Senhor te livrará. Como se comportar no deserto? NO DESERTO, VOCÊ DEVE CRER E CONFIAR QUE DEUS VAI TE LIVRAR (Ex 14:13-14) “Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais: aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que hoje vos fará; porque aos egípcios que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós e vós vos calareis”. “Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais: aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que hoje vos fará; porque aos egípcios que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós e vós vos calareis”. O povo de Israel quando viram que Faraó estava vindo atrás com seu exército, ficaram apavorados, com muito medo, pois eles olharam na frente e não tinha com prosseguir, em sua frente havia o mar, olharam em sua volta e viram so montanhas e atrás, Faraó com muita raiva e com vontade de destruir com o povo de Deus. Nesta hora Israel temeu, ficaram apavorados e entraram em pânico, Quantas vezes, você já ficou nesta situação, você olha e não consegue enxergar uma saída e você percebe que o inimigo está furioso para te destruir, para acabar com sua vida, Deus está falando com você nesta hora: Não temas, não tenha medo o Anjo da vitória chegou, Deus pelejará por você, ficai quietos e vede o livramento do Senhor, nunca mais você passará por este problema de novo, porque o Senhor peleja por você. Creia e confia, Deus vai te ajudar, Ele vai te livrar. Como se comporta no deserto? NO DESERTO, PRECISAMOS TER ATOS DE FÉ, PARA VER O MILAGRE ACONTECER (Ex 14:15-16) “Disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Diz aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta a tua vara, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco”. “Disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Diz aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta a tua vara, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco”. Deus falou para Moisés, levanta a tua vara, e estende a sua mão sobre o mar e divide-o no meio, e depois, ele disse: Porque clamas a mim? Diga para o povo marchar. A momentos que ficamos sem ação, perplexos diante do sofrimento a luta parece ser tão grande, as tribulações são tantas, que as vezes, ficamos sem saber o que fazer. Assim como Deus falou com Moisés, Ele pergunta pra você: O que tens nas mãos, estende a sua mão nesta hora sobre o problema, sobre tua luta, sobre sua dificuldade e em nome de Jesus começa a repreender. O Senhor vai abrir este mar, e você vai passar em segurança, nenhum mal vai te acontecer, porque o Senhor estará como um muro a sua direita e a sua esquerda, para te livrar e te proteger do inimigo, você vai passar por este mar de tribulação, você vai passar por este mar de angustia, você vai passar por este mar de a diversidade, tenha fé, confia em Deus e você vai ver o grande milagre que o Senhor vai fazer em sua vida. Como se comportar no deserto? NO DESERTO, NÃO SE PREOCUPE COM O INIMIGO, PORQUE O INIMIGO SABERÁ QUE NÃO PODERÁ TE VENCER, PORQUE O SENHOR ESTÁ PELEJA POR VOCÊ (Ex 14:25) “Emperrou-lhes as rodas dos carros, e fê-los andar dificultosamente. Então disseram os egípcios: Fujamos da presença de Israel porque o Senhor peleja por eles contra nós os egípcios”. “Emperrou-lhes as rodas dos carros, e fê-los andar dificultosamente. Então disseram os egípcios: Fujamos da presença de Israel porque o Senhor peleja por eles contra nós os egípcios”. O exército de Faraó, quando viram e perceberam que as rodas dos carros começaram a emperrar e que eles começaram a andar com dificuldade, eles clamaram: Fujamos da presença de Israel, porque o Senhor peleja por eles contra nós. É assim que Deus faz, o inimigo tem que ver que Deus peleja por você, e ele terá dificuldades para tentar de atingir, veja bem: tentará te atingir, mais ele não terá condição de te atingir, porque Deus dificultará com seu planos e sua ações, e todos os dardos inflamados e setas diabólica que ele lançar sobre a sua vida, na vai te atingir, o inimigo fugirá de você porque é o Senhor que peleja por você. Conclusão Não é fácil quando estamos passando pelo deserto, mas você pode contar com a ajudado do Senhor. Quando o deserto chegar em sua vida, como você deve se comportar no deserto? No deserto, você pode contar com a proteção de Deus, no deserto, saiba que Deus estará por perto, para te guardar e te proteger do inimigo, no deserto, você pode contar com a soberania de Deus, no deserto, você deve crer e confiar que Deus vai te livrar, no deserto, precisamos ter atos de fé, para ver o milagre acontecer, no deserto, não se preocupe com o inimigo, porque o inimigo saberá que não poderá te vencer, porque o Senhor está pelejando por você

sexta-feira, 27 de julho de 2012

sábado, 16 de junho de 2012

Evangelho o Poder De Deus

O Evangelho é o poder de Deus - Rm.1.16-17 I. Porque o Evangelho é Boas Novas. São alegres novas mais emocionante que a humanidade jamais ouviu. II. Porque é o método Divino de Salvação. O Evangelho é o Poder de Deus. Evangelho é o único, grande e exclusivo método de Deus para a Salvação do homem, Rm.8.3. III. Porque o Evangelho é o meio de Salvação. O Evangelho se refere à Salvação grandiosa e abrangente. O que é Salvação? Salvação é a libertação do homem das conseqüências da Queda e do pecado. O que significa Salvação? Quais os seus benefícios? 1. A Salvação liberta o homem do jugo do pecado.  Primeiramente o homem é liberto da culpa do pecado.  O homem, em 2º lugar, é liberto também do poder do pecado.  O homem, em 3º lugar, é liberto da corrupção plena do pecado. 2. A Salvação nos reconcilia com Deus. 3. A Salvação restabelece em nós a Esperança da Glória! 4. A história da Salvação.  Fomos salvos:  Estamos sendo salvos,  Seremos salvos: IV. Porque é Poderoso. O Evangelho o Poder de Deus em ação em salvar. É poder em si mesmo. É o Poder de Deus produzindo Salvação em nós. O que Paulo quer dizer quando afirma que não se envergonha do Evangelho por ser ele o Poder de Deus para a Salvação? 1. Significa que a Salvação é a poderosa ação de Deus em nós através e por meio do Evangelho, Ef.3.10. O Evangelho é o grande poder pelo qual Deus predestina os que quer; é o poder “eletivo” de Deus; é o poderoso “chamamento” feito por Deus; é a força e o poder da justificação efetuada por Deus; é o poder pelo qual Deus regenera os homens; é o poder pelo qual Deus nos santifica; é o poder pelo qual e com o qual Deus nos preserva; é o poder pelo qual Deus nos glorificará. Rm.8.28-30. 2. Significa que, como poder de Deus, é eficiente, é eficaz. Portanto, Paulo não se envergonha do Evangelho porque em todos os pontos ele funciona, e é eficaz e é capaz de produzir o resultado final, Jô.10.28. Tudo o que Deus fez no Senhor Jesus Cristo e por meio dEle por nós, todas as riquezas da Graça de Deus em Cristo, vêm pelo Poder do Espírito Santo mediante a Palavra do Evangelho. É assim que Deus faz. V. Porque é para Todos. A Salvação é para todo aquele que crê. Este Evangelho também traz esperança para todos. O número de pecados não entra na questão. Conclusão Os antecedentes não importam; o passado não conta; tudo isso será apagado por este poder, e o homem não somente será perdoado; será criado de novo – uma nova criatura, com o poder de Deus dentro dele, e com a natureza divina nele. E assim ele iniciará aquele maravilhoso curso que, nas mãos de Deus e por Seu poder, o levará à glorificação final e ao regozijo que terá na santidade, na presença de Deus.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

O Evangelho O Poder de Deus para Salvar (Romanos 1:14-17) O dilema do homem é inegável: o pecado levantou uma barreira intransponível impedindo o acesso até Deus (Romanos 3:23; 6:23). Entretanto Deus está querendo ajudar, oferecendo resposta para os apelos desesperados dos homens (Romanos 7:24; Atos 17:27). O livro de Romanos claramente nos mostra a necessidade de aceitar e obedecer o evangelho para se livrar do pecado e restaurar a comunhão com Deus. O evangelho é realmente o poder de Deus para nossa salvação (Romanos 1:16). A Única Cláusula de Deus (Romanos 1:16) A revelação do plano eterno de Deus para a salvação do homem atingiu seu ponto culminante no sacrifício de Jesus Cristo, e seu benefício na revelação do evangelho. Simplesmente não existe possibilidade de salvação sem Cristo (Atos 4:10-12). A morte de Cristo é essencial para a nossa salvação (Mateus 26:28). O evangelho é importante porque mostra como podemos ser salvos pela morte de Jesus. Nós podemos compartilhar da promessa em Cristo somente através do evangelho (Efésios 3:6). Não existe nenhum relato bíblico de nenhuma pessoa sendo salva através de outro meio. Nós somos salvos quando ouvimos, cremos e obedecemos o evangelho (Romanos 10:8-17). Deus nos oferece uma saída para o dilema do pecado através do evangelho, o qual "se manifestou agora . . . para obediência da fé" (Romanos 16:25-26). Se rejeitarmos esta saída, não existirá outro caminho para a salvação. A Única Incumbência de Paulo (Romanos 1:14-16) Paulo, quem de perseguidor tornou-se pregador, mostra sua firme convicção de necessidade da obediência ao evangelho. Na introdução na sua carta aos Romanos ele nos dá uma das mais claras e estimulantes afirmações sobre a importância das boas novas de Jesus Cristo. Paulo disse: Œ Eu sou devedor (1:14). Ele devia a mensagem salvadora para os outros, mesmo os desprezados gentios, porque era a única chance deles para a salvação.  Estou pronto (1:15). O entendimento de Paulo sobre o valor do evangelho era motivo suficiente para levá-lo a Roma para pregar o evangelho. Ž Não me envergonho (1:16). A mensagem simples do evangelho pode ter sido ironizada pelos arrogantes, mas Paulo não se envergonhou, reconhecendo o poder da palavra (veja 1 Coríntios 1:18-31). Nosso Único Guia (Romanos 1:17) Os homens podem ser justificados diante de Deus somente quando eles demonstrarem fé - resposta adequada para a sua palavra. Paulo cita Habacuque 2:4 que nos mostra uma clara distinção entre o orgulhoso que segue seu próprio caminho, e o justo que manifesta sua própria dependência em Deus. Nós devemos ter a humildade e nos submeter a Deus e seguir unicamente a sua palavra. A palavra de Deus fornece a direção completa que nós precisamos (Jeremias 10:23-24). As Escrituras fornecem tudo o que nós precisamos para estarmos equipados para servir a Deus (2 Timóteo 3:16-17). Deus nos tem dado todas as coisas que conduzem à vida e à santidade, nos capacitando a nos desfazer da natureza humana e ser participantes da natureza Divina (2 Pedro 1:3-4). Nós devemos ignorar as tradições, doutrinas e opiniões dos homens e aceitar a mensagem salvadora do evangelho (1 Coríntios 4:6). Somente assim, nós teremos a verdadeira comunhão com Deus (2 João 9). Durante os séculos que se passaram, a partir dos escritos de Paulo, os homens têm tentado "melhorar" o poder de Deus para a salvação. Eles tentaram suplementar, abreviar, reduzir e alargar, mas foram incapazes de produzir qualquer outro caminho para escalar a barreira do pecado. Deus revelou. Paulo proclamou. Nós devemos obedecer. As boas novas de Jesus Cristo são a única avenida pela qual nós podemos ser redimidos da terrível conseqüência do pecado!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012


O Poder do Evangelho
Romanos 1.16

"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego."
O Evangelho sem dúvida é o maior poder que liberta e provê salvação para o que crer.

I- O EVANGELHO E PODER DIVINO
a) Oriundo do propósito do Pai
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (Jo 3.16)

b) Manifestado na vida e sofrimento do Filho
"Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?" - (Hb 9.14);

c) Aplicado a nós pela obra do Espírito Santo
"Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa." - (Ef 1.13)

II - O EVANGELHO E UM PODER SALVADOR
a) Nos salva do castigo do pecado
"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego." (Rm 1.16)
"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida." - (Jo 5.24)
"PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." - (Rm. 8.1);

b) Nos salva do domínio do pecado
"Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" - (Rm 6.16).

III - O EVANGELHO E UMA POTENCIA UNIVERSAL
a) Seus benefícios se oferecem a todos
"Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas." - (Mt 11.29);

b) Seu poder é suficiente para todos
"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;" - (Jo 1.12);

c) Suas condições estão ao alcance de todos
"Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos,"
A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo." - (Rm 10.8-9)

Conclusão Jesus nao mudou ,ele continua o mesmo salvando e transformando vidas.

Projeto Semear 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012


O Evangelho O Poder de
Deus para Salvar
(Romanos 1:14-17)

O dilema do homem é inegável: o pecado levantou uma barreira intransponível impedindo o acesso até Deus (Romanos 3:23; 6:23). Entretanto Deus está querendo ajudar, oferecendo resposta para os apelos desesperados dos homens (Romanos 7:24; Atos 17:27).

O livro de Romanos claramente nos mostra a necessidade de aceitar e obedecer o evangelho para se livrar do pecado e restaurar a comunhão com Deus. O evangelho é realmente o poder de Deus para nossa salvação (Romanos 1:16).

A Única Cláusula de Deus (Romanos 1:16)

A revelação do plano eterno de Deus para a salvação do homem atingiu seu ponto culminante no sacrifício de Jesus Cristo, e seu benefício na revelação do evangelho. Simplesmente não existe possibilidade de salvação sem Cristo (Atos 4:10-12). A morte de Cristo é essencial para a nossa salvação (Mateus 26:28). O evangelho é importante porque mostra como podemos ser salvos pela morte de Jesus. Nós podemos compartilhar da promessa em Cristo somente através do evangelho (Efésios 3:6).

Não existe nenhum relato bíblico de nenhuma pessoa sendo salva através de outro meio. Nós somos salvos quando ouvimos, cremos e obedecemos o evangelho (Romanos 10:8-17). Deus nos oferece uma saída para o dilema do pecado através do evangelho, o qual "se manifestou agora . . . para obediência da fé" (Romanos 16:25-26). Se rejeitarmos esta saída, não existirá outro caminho para a salvação.

A Única Incumbência de Paulo (Romanos 1:14-16)

Paulo, quem de perseguidor tornou-se pregador, mostra sua firme convicção de necessidade da obediência ao evangelho. Na introdução na sua carta aos Romanos ele nos dá uma das mais claras e estimulantes afirmações sobre a importância das boas novas de Jesus Cristo. Paulo disse:

Œ Eu sou devedor (1:14). Ele devia a mensagem salvadora para os outros, mesmo os desprezados gentios, porque era a única chance deles para a salvação.

 Estou pronto (1:15). O entendimento de Paulo sobre o valor do evangelho era motivo suficiente para levá-lo a Roma para pregar o evangelho.

Ž Não me envergonho (1:16). A mensagem simples do evangelho pode ter sido ironizada pelos arrogantes, mas Paulo não se envergonhou, reconhecendo o poder da palavra (veja 1 Coríntios 1:18-31).

Nosso Único Guia (Romanos 1:17)

Os homens podem ser justificados diante de Deus somente quando eles demonstrarem fé - resposta adequada para a sua palavra. Paulo cita Habacuque 2:4 que nos mostra uma clara distinção entre o orgulhoso que segue seu próprio caminho, e o justo que manifesta sua própria dependência em Deus. Nós devemos ter a humildade e nos submeter a Deus e seguir unicamente a sua palavra.

A palavra de Deus fornece a direção completa que nós precisamos (Jeremias 10:23-24). As Escrituras fornecem tudo o que nós precisamos para estarmos equipados para servir a Deus (2 Timóteo 3:16-17). Deus nos tem dado todas as coisas que conduzem à vida e à santidade, nos capacitando a nos desfazer da natureza humana e ser participantes da natureza Divina (2 Pedro 1:3-4). Nós devemos ignorar as tradições, doutrinas e opiniões dos homens e aceitar a mensagem salvadora do evangelho (1 Coríntios 4:6). Somente assim, nós teremos a verdadeira comunhão com Deus (2 João 9).

Durante os séculos que se passaram, a partir dos escritos de Paulo, os homens têm tentado "melhorar" o poder de Deus para a salvação. Eles tentaram suplementar, abreviar, reduzir e alargar, mas foram incapazes de produzir qualquer outro caminho para escalar a barreira do pecado. Deus revelou. Paulo proclamou. Nós devemos obedecer. As boas novas de Jesus Cristo são a única avenida pela qual nós podemos ser redimidos da terrível conseqüência do pecado!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

DEUS SEMPRE FAZ A COISA CERTA
“Deus sempre faz a coisa certa”. É essa a mensagem final que podemos extrair da história de Abraão.

Durante toda a história desse patriarca, vemos que suas experiências com Deus exalam a fidelidade divina. Ele explica que: Deus sempre faz a coisa certa, ainda que, para isso, leve muito tempo.

Quando passa muito tempo entre o momento em que Deus promete algo e o momento em que Ele cumpre Sua promessa, nós agimos como criancinhas que mal podem esperar pelo Natal. Não gostamos de esperar e temos medo de ser esquecidos. É fácil ver por que Abraão ficou impaciente. Quando tirou Abraão de Ur dos caldeus, Deus prometeu-lhe a terra de Canaã e muitos descendentes que se tornariam uma grande nação. Mas, depois de dez anos, Deus ainda não havia cumprido o que prometera.

Ele ainda não tinha um filho depois de dez anos e muitas provações, Abraão quis saber se o acordo continuava de pé. A Bíblia afirma: “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do Senhor a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande… Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gênesis 15:1,5,6) Mesmo depois dessa palavra de confirmação de Deus, Abraão ainda não sabia o que Deus estava tramando. Em um momento de dúvida, ele e Sara tentaram segurar as coisas em suas mãos gerando um filho por meio da criada de Sara. Mas os caminhos de Deus – e seu sentido de tempo – não são como os nossos. Ainda que o tempo possa parecer longo para nós, Deus sempre faz o que é certo e sempre cumpre Sua promessa. Abraão quer que nos lembremos disso. Deus sempre faz a coisa certa, ainda que o que Ele diz pareça absurdo.

Quando Deus disse a Abraão e Sara: “Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho”, Sara riu e disse: “Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:10,12). Embora logo negasse que tivesse rido, ela tinha uma boa razão para isso: Ela tinha 89 anos! Por que Deus esperou tanto para cumprir a promessa? A resposta é que Deus queria a total confiança de Abraão. E isso só acontece por meio da provação. Deus cumpriu sua promessa. No ano seguinte, Sara deu à luz Isaque – ainda que parecesse algo impossível. Nossa mente não consegue conceber todas as coisas que Deus é capaz de realizar. As palavras de Deus a Abraão resumem bem sua capacidade: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18:14)

A tremenda prova de confiança veio Abraão quando Deus lhe pediu para sacrificar seu amado filho, Isaque. Por que Deus queria que Abraão matasse seu filho da promessa? Isso não fazia sentido, era totalmente ao contrario da promessa de Deus que iria fazer de Abraão uma grande nação. Naquele momento Abraão não perguntou ou duvidou. Ele simplesmente se levanta cedinho para fazer o que foi pedido. Depois de muitos anos fazendo perguntas, ele finalmente tentou ser obediente. Ele tinha aprendido o segredo de andar com Deus: Confiança e obediência. Deus tinha sido fiel a cada promessa que fizera, então, Abraão passou a confiar no Seu caráter.

Meditando sobre a história de Abraão, percebemos que não devemos tentar entender Deus mas sim obedecê-Lo em primeiro lugar.
DEUS SEMPRE FAZ A COISA CERTA
“Deus sempre faz a coisa certa”. É essa a mensagem final que podemos extrair da história de Abraão.

Durante toda a história desse patriarca, vemos que suas experiências com Deus exalam a fidelidade divina. Ele explica que: Deus sempre faz a coisa certa, ainda que, para isso, leve muito tempo.

Quando passa muito tempo entre o momento em que Deus promete algo e o momento em que Ele cumpre Sua promessa, nós agimos como criancinhas que mal podem esperar pelo Natal. Não gostamos de esperar e temos medo de ser esquecidos. É fácil ver por que Abraão ficou impaciente. Quando tirou Abraão de Ur dos caldeus, Deus prometeu-lhe a terra de Canaã e muitos descendentes que se tornariam uma grande nação. Mas, depois de dez anos, Deus ainda não havia cumprido o que prometera.

Ele ainda não tinha um filho depois de dez anos e muitas provações, Abraão quis saber se o acordo continuava de pé. A Bíblia afirma: “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do Senhor a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande… Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gênesis 15:1,5,6) Mesmo depois dessa palavra de confirmação de Deus, Abraão ainda não sabia o que Deus estava tramando. Em um momento de dúvida, ele e Sara tentaram segurar as coisas em suas mãos gerando um filho por meio da criada de Sara. Mas os caminhos de Deus – e seu sentido de tempo – não são como os nossos. Ainda que o tempo possa parecer longo para nós, Deus sempre faz o que é certo e sempre cumpre Sua promessa. Abraão quer que nos lembremos disso. Deus sempre faz a coisa certa, ainda que o que Ele diz pareça absurdo.

Quando Deus disse a Abraão e Sara: “Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho”, Sara riu e disse: “Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:10,12). Embora logo negasse que tivesse rido, ela tinha uma boa razão para isso: Ela tinha 89 anos! Por que Deus esperou tanto para cumprir a promessa? A resposta é que Deus queria a total confiança de Abraão. E isso só acontece por meio da provação. Deus cumpriu sua promessa. No ano seguinte, Sara deu à luz Isaque – ainda que parecesse algo impossível. Nossa mente não consegue conceber todas as coisas que Deus é capaz de realizar. As palavras de Deus a Abraão resumem bem sua capacidade: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18:14)

A tremenda prova de confiança veio Abraão quando Deus lhe pediu para sacrificar seu amado filho, Isaque. Por que Deus queria que Abraão matasse seu filho da promessa? Isso não fazia sentido, era totalmente ao contrario da promessa de Deus que iria fazer de Abraão uma grande nação. Naquele momento Abraão não perguntou ou duvidou. Ele simplesmente se levanta cedinho para fazer o que foi pedido. Depois de muitos anos fazendo perguntas, ele finalmente tentou ser obediente. Ele tinha aprendido o segredo de andar com Deus: Confiança e obediência. Deus tinha sido fiel a cada promessa que fizera, então, Abraão passou a confiar no Seu caráter.

Meditando sobre a história de Abraão, percebemos que não devemos tentar entender Deus mas sim obedecê-Lo em primeiro lugar.