quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

DEUS SEMPRE FAZ A COISA CERTA
“Deus sempre faz a coisa certa”. É essa a mensagem final que podemos extrair da história de Abraão.

Durante toda a história desse patriarca, vemos que suas experiências com Deus exalam a fidelidade divina. Ele explica que: Deus sempre faz a coisa certa, ainda que, para isso, leve muito tempo.

Quando passa muito tempo entre o momento em que Deus promete algo e o momento em que Ele cumpre Sua promessa, nós agimos como criancinhas que mal podem esperar pelo Natal. Não gostamos de esperar e temos medo de ser esquecidos. É fácil ver por que Abraão ficou impaciente. Quando tirou Abraão de Ur dos caldeus, Deus prometeu-lhe a terra de Canaã e muitos descendentes que se tornariam uma grande nação. Mas, depois de dez anos, Deus ainda não havia cumprido o que prometera.

Ele ainda não tinha um filho depois de dez anos e muitas provações, Abraão quis saber se o acordo continuava de pé. A Bíblia afirma: “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do Senhor a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande… Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gênesis 15:1,5,6) Mesmo depois dessa palavra de confirmação de Deus, Abraão ainda não sabia o que Deus estava tramando. Em um momento de dúvida, ele e Sara tentaram segurar as coisas em suas mãos gerando um filho por meio da criada de Sara. Mas os caminhos de Deus – e seu sentido de tempo – não são como os nossos. Ainda que o tempo possa parecer longo para nós, Deus sempre faz o que é certo e sempre cumpre Sua promessa. Abraão quer que nos lembremos disso. Deus sempre faz a coisa certa, ainda que o que Ele diz pareça absurdo.

Quando Deus disse a Abraão e Sara: “Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho”, Sara riu e disse: “Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:10,12). Embora logo negasse que tivesse rido, ela tinha uma boa razão para isso: Ela tinha 89 anos! Por que Deus esperou tanto para cumprir a promessa? A resposta é que Deus queria a total confiança de Abraão. E isso só acontece por meio da provação. Deus cumpriu sua promessa. No ano seguinte, Sara deu à luz Isaque – ainda que parecesse algo impossível. Nossa mente não consegue conceber todas as coisas que Deus é capaz de realizar. As palavras de Deus a Abraão resumem bem sua capacidade: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18:14)

A tremenda prova de confiança veio Abraão quando Deus lhe pediu para sacrificar seu amado filho, Isaque. Por que Deus queria que Abraão matasse seu filho da promessa? Isso não fazia sentido, era totalmente ao contrario da promessa de Deus que iria fazer de Abraão uma grande nação. Naquele momento Abraão não perguntou ou duvidou. Ele simplesmente se levanta cedinho para fazer o que foi pedido. Depois de muitos anos fazendo perguntas, ele finalmente tentou ser obediente. Ele tinha aprendido o segredo de andar com Deus: Confiança e obediência. Deus tinha sido fiel a cada promessa que fizera, então, Abraão passou a confiar no Seu caráter.

Meditando sobre a história de Abraão, percebemos que não devemos tentar entender Deus mas sim obedecê-Lo em primeiro lugar.
DEUS SEMPRE FAZ A COISA CERTA
“Deus sempre faz a coisa certa”. É essa a mensagem final que podemos extrair da história de Abraão.

Durante toda a história desse patriarca, vemos que suas experiências com Deus exalam a fidelidade divina. Ele explica que: Deus sempre faz a coisa certa, ainda que, para isso, leve muito tempo.

Quando passa muito tempo entre o momento em que Deus promete algo e o momento em que Ele cumpre Sua promessa, nós agimos como criancinhas que mal podem esperar pelo Natal. Não gostamos de esperar e temos medo de ser esquecidos. É fácil ver por que Abraão ficou impaciente. Quando tirou Abraão de Ur dos caldeus, Deus prometeu-lhe a terra de Canaã e muitos descendentes que se tornariam uma grande nação. Mas, depois de dez anos, Deus ainda não havia cumprido o que prometera.

Ele ainda não tinha um filho depois de dez anos e muitas provações, Abraão quis saber se o acordo continuava de pé. A Bíblia afirma: “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do Senhor a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande… Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gênesis 15:1,5,6) Mesmo depois dessa palavra de confirmação de Deus, Abraão ainda não sabia o que Deus estava tramando. Em um momento de dúvida, ele e Sara tentaram segurar as coisas em suas mãos gerando um filho por meio da criada de Sara. Mas os caminhos de Deus – e seu sentido de tempo – não são como os nossos. Ainda que o tempo possa parecer longo para nós, Deus sempre faz o que é certo e sempre cumpre Sua promessa. Abraão quer que nos lembremos disso. Deus sempre faz a coisa certa, ainda que o que Ele diz pareça absurdo.

Quando Deus disse a Abraão e Sara: “Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho”, Sara riu e disse: “Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:10,12). Embora logo negasse que tivesse rido, ela tinha uma boa razão para isso: Ela tinha 89 anos! Por que Deus esperou tanto para cumprir a promessa? A resposta é que Deus queria a total confiança de Abraão. E isso só acontece por meio da provação. Deus cumpriu sua promessa. No ano seguinte, Sara deu à luz Isaque – ainda que parecesse algo impossível. Nossa mente não consegue conceber todas as coisas que Deus é capaz de realizar. As palavras de Deus a Abraão resumem bem sua capacidade: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18:14)

A tremenda prova de confiança veio Abraão quando Deus lhe pediu para sacrificar seu amado filho, Isaque. Por que Deus queria que Abraão matasse seu filho da promessa? Isso não fazia sentido, era totalmente ao contrario da promessa de Deus que iria fazer de Abraão uma grande nação. Naquele momento Abraão não perguntou ou duvidou. Ele simplesmente se levanta cedinho para fazer o que foi pedido. Depois de muitos anos fazendo perguntas, ele finalmente tentou ser obediente. Ele tinha aprendido o segredo de andar com Deus: Confiança e obediência. Deus tinha sido fiel a cada promessa que fizera, então, Abraão passou a confiar no Seu caráter.

Meditando sobre a história de Abraão, percebemos que não devemos tentar entender Deus mas sim obedecê-Lo em primeiro lugar.