segunda-feira, 28 de março de 2011

A Alma Pode Separar-se do Espírito?

Pergunta:

“Lendo seus artigos sobra alma, gostaria de saber o que vocês acham dos livros do Watchman Nee, que separa alma do espírito.

Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, mais cortante do que qualquer espada de 2 gumes, e penetra até ao ponto de dividir a alma e o espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hebreus 4:12).

Esse texto deixa claro que alma e espírito podem ser divididos, portanto são 2 elementos com 2 naturezas distintas".

Resposta:

Há duas interpretações sobre a composição físico-espiritual do homem. A primeira, defendida pelos “tricotomistas”, diz ser o homem formado de corpo, alma e espírito. A segunda, a dos “dicotomistas”, sustenta que o homem possui apenas corpo e alma, sendo esta dividida em duas substâncias: a alma propriamente dita, ligada aos nossos sentimentos, e o espírito, que tem consciência e possui o conhecimento de Deus. O Antigo Testamento não faz muita distinção entre alma e espírito: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida. E o homem foi feito ALMA VIVENTE” (Gn 2.7).

O termo “espírito” deriva do hebraico “ruah”, do grego “pneuma”, do latim “spiritus”, e significa sopro, hálito, vento, princípio de vida. Logo, nossa parte imaterial ou espiritual foi formada de uma parte da essência (do sopro) de Deus (Ez 3.19; Pv 23.14; Sl 33.19). O Novo Testamento também não estabelece uma clara distinção entre os dois termos: “A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador” (Lc 1.46-47). Outras referências: Hb 4.12; 1 Ts 5.23. Jesus disse: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23.46). Antes, porém dissera: “A minha alma está cheia de tristeza até a morte” (Mt 26.38).

A verdade é que o homem possui uma parte material (o corpo) e uma imaterial (o espírito) formadas por Deus. Quando esta parte imaterial se relaciona com a carne (sensações, emoções, vontade), chama-se ALMA; quando serve de ligação com Deus, chama-se ESPÍRITO. Considero ser esta uma explicação razoável.
Quanto à “divisão da alma do espírito” (Hb 4.12), o texto, objeto da consulta, não está afirmando que esses dois elementos podem ser separados em algum momento. Na verdade, o texto enfatiza o poder da Palavra, como espada, capaz de separar o inseparável.

“Ordinariamente, os escritores sagrados referem-se ao homem como sendo um composto de corpo e alma, ou corpo e espírito, e não de corpo, alma e espírito, a não ser as passagens em 1 Co 15.44 e 1 Ts 5.23; e em Hebreus 4.12, em que se faz distinção entre a alma animal e a racional, para fins de pura argumentação” (Dicionário da Bíblia, John D. Davis). Uma tese equilibrada sobre o assunto é a seguinte:

“Em geral os escritores bíblicos, de uma forma especial os do Antigo Testamento, não fazem distinção precisa entre psyche, alma animal, que é a parte inferior do ser humano, e pneuma, espírito ou alma racional, parte superior do homem. Por isso é comum o uso de ambos os vocábulos como designando uma mesma coisa. Escreve Scofield: “Sendo o homem `espírito´, é capaz de ter conhecimento de Deus e comunhão com ele; sendo `alma´, ele tem conhecimento de si próprio; sendo `corpo´, tem através dos sentidos, conhecimento do mundo”. O corpo é tabernáculo da alma, a alma a sede da personalidade, e o espírito o canal de comunhão com Deus”

segunda-feira, 21 de março de 2011

Entrevista com o Zangief Kid [LEGENDADO]


Nem Todas as Portas que se Abrem são Deus que abre.

Há uma guerra incessante acontecendo na vida de todos. Não é a batalha da lei versus a graça. Esta já foi ganha por Jesus na cruz. É sim a guerra do Espírito versus carne: “Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si...”, Gl 5: 17. A palavra Espírito está em maiúscula e, na gramática, isso significa que se trata de uma pessoa. Observe que Espírito e carne são opostos, são inimigos. Por não estar atento a isso, há cristãos que vivem no campo da derrota. Então, o que é necessário para ser vitorioso?

Vejamos:

Conhecendo a carne

Neste texto, carne não significa corpo ou matéria, não significa o palpável, o gerado e concebido por uma mulher. Não é o corpo físico. Por isso é que o nosso corpo não é a sede de todos os pecados. Quem pensa dessa forma está desvirtuando a Palavra de Deus deixada para orientação de nossas vidas.

Há cristãos que estão equivocados com esta passagem da Bíblia. Para muitos, o seu corpo tem sido o culpado vital de seus fracassos. Porém, esse texto faz alusão à natureza humana. No contexto, os pecados mencionados como obras da carne são pecados espirituais manifestados através do corpo, Gl 5: 19-21. A origem, a sede é a natureza humana; o corpo é apenas um instrumento que pode ser usado para satisfação da carne ou do Espírito, Gl 5: 16 e 24.

Andar a partir do senso e razão pessoal implica em viver sem a orientação de Deus, executar o próprio querer sem se importar com o querer de Deus. E é justamente nesse ponto que muitos cristãos têm tombado e perdido a guerra. Policiam tanto o corpo e se esquecem de tomar conta de suas intenções e vontades. Não conseguem se render inteiramente a Deus e ao Espírito Santo, que é o agente ativo na vida do cristão.

Assim, há uma guerra sendo travada na psique humana, isto é, a carne, as vontades pessoais, a razão humana lutam incansavelmente contra o Espírito. São duas vontades lutando em uma só mente. Por isso, o apóstolo Paulo escreveu: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço”, Rm 7: 18-19.

Veja bem, Paulo desejava o bem, porém sua razão não propiciava o realizá-la. É a natureza carnal que faz com que o cristão realize coisas que não quer. Por exemplo: será que uma pessoa tem inveja por que quer? Ou será que tem ciúmes por que deseja?

Preste atenção no que Paulo afirma: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” - O que é isso? É guerra entre a natureza pecaminosa e a natureza Santa do Espírito. É guerra da vontade própria e contra a vontade de Deus. Na verdade, existe uma resistência involuntária da parte humana, e é esta resistência que cria este atrito espiritual, ou seja, é a nossa carne resistindo à vontade de Deus.

Conhecendo o Espírito

Mas que Espírito é este? Bem, este é o Espírito de Deus, o qual passa a fazer morada no coração humano quando este aceita a Jesus Cristo como seu Salvador. O Espírito Santo é o agente responsável em conduzir o crente a fazer a vontade de Deus.

Dessa forma, é possível entender porque há uma guerra irreconciliável instalada na mente do cristão. Esse texto de Gálatas é uma prova irrefutável de que existem dois antagonistas (adversários) agindo no coração do crente. Não há outra maneira para explicar o fato de que nem sempre o cristão obedece aos ditames de sua consciência. Se isso tem acontecido é porque existe um ser vivo resistindo e afrontando o nosso próprio querer. Este ser é o Espírito Santo que revela a vontade de Deus para todos.

Jesus não prometeu o Espírito Santo simplesmente para que falássemos em línguas estranhas. Também foi para auxiliar o cristão a subjugar o próprio eu, para fazer guerra contra a natureza carnal. Por isso, para que o crente ande no Espírito, o apóstolo Paulo recomendou: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”, Ef 5: 18.

Intimidade com o Espírito Santo é fundamental para uma vida cristã vitoriosa. Ele é o opositor da carne, é o que docemente constrange o crente a fazer a vontade de Deus. Agora que o leitor já conhece os antagonistas e um pouco desse conflito interior, pode-se perguntar: o que fazer para ser vitorioso?

Espírito x carne, quem vence?

Esta guerra nada mais é do que o querer do ser humano versus o querer de Deus. Pois bem, o ser humano é onisciente? É onipotente? É onipresente? Claro que não. O ser humano é impotente diante de Deus. Mas, mesmo sabendo disso, a natureza carnal se opõe à vontade de Deus. O resultado é a batalha que se trava na mente humana.

No dia-a-dia, o Espírito Santo não importa com os desejos da carne, e sim com o que Deus acha de uma situação. O Espírito tem a incumbência de fazer valer na vida do cristão a vontade do Senhor. Mas para que obtenha total êxito sobre a carne, é preciso que o crente aprenda a viver na dependência de Deus, que reconheça que o seu querer está contaminado pelo pecado, que assuma, de forma cabal, que é da sua natureza carnal que fluem os desejos pecaminosos, Mt 15: 19.

Muitos vivem na derrota porque não têm andado na dependência de Deus. O crente deve estar consciente de que só vencerá se render sua vida a Deus. Por esse caminho, o Espírito Santo tomará o controle total de sua vida. A carne será mortificada e o Espírito será vencedor. Jesus deixou um exemplo sobre o que é viver no Espírito: “Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua”, Lc 22: 42.

Deus quer que o cristão tenha constantes vitórias. Mas para isso o Espírito tem que vencer a carne. Então o leitor deve viver no Espírito. Mas o que é viver no Espírito? Paulo responde: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”, Gl 2: 20.

Conclusão

A carne, na verdade, tenta constantemente nos impulsionar para baixo, para a derrota, enquanto o Espírito se esforça para nos impulsionar para cima, para a vitória. Porém, para que haja um vencedor, é necessário dar a sua contribuição, fazer a sua parte, que é se render ao agir do Espírito Santo de Deus. Seja um vitorioso.

quarta-feira, 16 de março de 2011


Escolhido! Você sabe quando Deus te escolheu?

Quantas vezes ouvimos essas palavras ou até falamos para outras pessoas:


“você é um escolhido de Deus”, “se você esta aqui é porque foi escolhido por Deus”.


Mas você já parou e meditou! Quando Deus nos escolheu!


Muitas vezes agente se acostuma a ouvir algumas palavras e não meditamos profundamente, nem procuramos origem delas e isso é um grande erro! Pois na própria palavra esta
escrita: “Conheceres a verdade, e a
verdade vós libertaras”
.


Talvez vocês estejam se perguntando, onde eu quero chegar falando tudo isso!


Se o titulo do post é: “Escolhido! Você sabe quando Deus te escolheu?”.


Estou querendo mostrar para vocês, é que Deus nos escolheu bem antes do que pensamos e imaginamos! Sabemos que somos “Embaixadores
de Cristo”,
que somos ”Raça Eleita”,
entre muitas outras palavras. Mas sabemos quando Deus nos escolheu, sabemos
quando Deus nos ungiu para sermos servo, para sermos filhos D’ele?!


Em Efésios 1:2 a 14, Paulo fala desde quando somos escolhidos por Deus e como ele nos abençoou antes de nascemos:


“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais, assim como nos escolheu, nele,
antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e
em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus
Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua
graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado, na qual temos a redenção,
pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, que
Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência,
desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que
propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos
tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra; nele, digo no qual
fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz
todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos para louvor
da sua glória, nós, os que de antemão
esperamos em Cristo; em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da
verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados
com Santos Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, até ao
resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.”.


Então pessoal, nessa passagem da bíblia vemos que Deus nos escolheu antes de criar o mundo, ou seja, antes de decidir como seria a mundo Ele escolheu os seus
escolhidos!, Deus nos ama tanto que primeiros nos escolheu, nos abençoou, nos
fez herança D’ele, só para depois começa a fazer o mundo!


E hora de pensar: será que estamos colocando o Senhor Jesus em primeiro lugar!?


Da mesma forma que Ele nos colocou em primeiro! Mesmo sabendo que somos falhos, pecadores...


Deus esta em 1º lugar?


Se você meu amigo, meditou e viu que DEUS, ainda não esta em primeiro lugar na sua vida! Agora mesmo coloque o rosto no chão e se humilhe peça perdão e fale para Deus
que a partir de hoje Ele, vai ser o primeiro em tudo na sua vida!


E se Cristo já esta como 1º na sua vida, nunca deixe de se humilhar e pedi forças para Deus, pois somos os primeiros que o inferno vai tentar derrubar e tentar nos
parar!



Que Deus os abençoe cada um de vocês!


Pastor Luiz carlos Santos




terça-feira, 8 de março de 2011

MEU PAI NAO TEMPO PRA FALAR COMIGO.


Meu Pai Não Tem Tempo Para Conversar Comigo


Gostaria muito de bater um papo com meu pai, mas ele anda tão ocupado. Mesmo quando ele chega em casa, seu cansaço é por mais visível; não me atrevo a chegar perto dele para falar nada; ainda mais, quando aquela ruga no meio da sua testa aparece, sinalizando que algo vai mal. Nestes momentos me mantenho a uma distância segura. Não tenho coragem de perguntar o que está acontecendo; embora eu ache que já sou grande o bastante para participar das decisões da minha família. Quem sabe, poderia eu ajudá-lo de alguma maneira?

Às vezes fico com a impressão de que eu sou o problema. Tenho feito de tudo para que ele sinta orgulho de mim; mas parece não notar e se nota nada fala; talvez para não dar o braço a torcer, manter a autoridade e não deixar acabar o respeito. Deve ser porque ele acha que assim produzo mais e serei mais homem. Sei que meu pai me ama; no entanto, ele nunca diz nada ou faz um gesto para demonstrar seu amor. Eu sinto orgulho dele, mas como ele, me silencio. Papai é um homem bom e trabalhador. Sua vida tem sido dedicada a família; ele ama a Deus e a mamãe profundamente.

Gostava mais do tempo quando eu era criança. Meu pai me dava mais atenção e brincava comigo freqüentemente. Sinto saudades daqueles dias. Naquela época, ele não ficava tanto tempo no trabalho e nem tinha tantas responsabilidades na igreja. Há um dia em especial que jamais esquecerei. Foi o dia no qual papai se tornou meu herói. Eu tinha uns seis anos.

Papai havia me presenteado com algumas bolinhas de gude. Não vendo a hora de revelar minhas habilidades com as bolinhas, fui para frente da igreja, onde havia um terreno vazio. Lá, a garotada apostava, jogando bolinha a valer. A criançada vibrou quando me viu chegar com o bolso cheio de bolinhas novinhas. Eles iriam se esbaldar; eu seria o “pato” da hora. Com apenas algumas jogadas os meninos maiores, sem dó nem piedade, me deixaram completamente “limpo”. Todas as minhas reluzentes bolinhas mudaram de dono rapidamente. Como o jogo era a “vera”, não havia nada que eu poderia fazer, a não ser me lamentar. Foi aí que papai chegou.

Na mesma hora, ele indagou o que estava acontecendo; pois notara a minha cara de choro. A princípio, com um jeito gentil e educado, ele pediu aos meninos que devolvessem as minhas bolinhas. Os garotos argumentaram que eu sabia que o jogo era pra valer; eles ganharam as bolinhas justamente. Papai respondeu que eu era muito pequeno e que não sabia o que estava fazendo. Além disto, eles haviam aproveitado da minha inocência, pouca idade, e falta de destreza com as bolinhas para ganhá-las de mim. Os jogadores ficaram impassíveis. Ninguém estava disposto a devolver as minhas valiosas bolinhas; elas eram toda a minha fortuna. Então, meu pai sentenciou: ''Se é justo vocês jogarem com meu filho, que é bem menor do que vocês, então será justo que eu também jogue contra vocês; me vendam algumas bolinhas e vamos reiniciar o jogo''.

Antevendo um bom negócio, imediatamente os meninos venderam algumas bolinhas para papai; meu pai seria o próximo ''pato''. Logo eles iriam recuperar as bolinhas e ainda ganhariam algum dinheiro. Fiquei de lado extasiado e feliz com a atitude de papai. Enquanto papai arregaçava as mangas da camisa, os meninos se entreolharam marotos. Iniciando o jogo, alguém gritou rapidamente, ''marraio!'' Com esta palavra, o esperto portador da voz desconhecida seria o último a jogar a bolinha em direção ao risco, o que lhe daria uma certa vantagem ao tirar o ponto para começar o jogo. Aquele foi o jogo mais espetacular que assisti em toda a minha vida. Uma a uma, as bolinhas eram atingidas por meu pai em ''buscadas'' certeiras. Eu, e os antes, impiedosos jogadores, mal podíamos acreditar no que estava acontecendo. Os meninos foram se rendendo a habilidade de papai; perderam todas as bolinhas. Uma lata cheia me foi entregue por papai. Abracei a lata de Neston, que eu mal podia carregar por causa do peso, tal era a quantidade de bolinhas. Olhei para os meninos com ar triunfante; agarrei a mão que papai me estendia e voltei para casa me sentindo o mais feliz dos mortais. Ainda hoje, quando me lembro dos olhares derrotados e maravilhados dos garotos, sinto um enorme orgulho de papai; mas mesmo assim algumas coisas teimosamente me incomodam.

Por que não consigo dizer para o meu pai o que sinto a respeito dele? Por que os pais têm tempo de passear com os filhos enquanto eles são pequenos e estão tão ocupados quando eles se tornam jovens? Por que não dá mais para segurar a mão de papai e caminhar ao seu lado como naquele extraordinário dia do jogo de bolinhas? Por que com o tempo os pais perdem a alegria e deixam de brincar com os filhos? Por que é tão difícil conversar com papai e somente trocamos algumas sílabas a cada semana? Porque papai ficou tão sério e arredio? Por que nossos assuntos se tornaram por demais diferentes e controversos? Por que ao invés de me defender, como antes, papai me culpa por tudo e me dá tanta bronca como se eu quisesse errar de propósito? Por que os mais velhos não vêem espiritualidade no riso e nas brincadeiras? Gostaria tanto de entender papai e conversar um pouquinho com ele.

Bem que Deus poderia me fazer entender todas estas coisas. Deus bem que poderia me emprestar meu pai pelo menos por um domingo. Assim poderíamos freqüentar os lugares da minha infância. Comer cachorro quente e pipoca; remar um barco e andar de bicicleta; chutar uma bola e mergulhar num rio; soltar pipa e subir numa árvore. Eu poderia então correr para os braços fortes de papai; ele me rodaria no ar até eu ficar tonto; nossas risadas gostosas se casariam uma a outra, e eu beijaria seu rosto, mesmo sendo arranhando por sua barba. Que tempo bom foi aquele; nos divertíamos a valer. Pena que tudo isto se acabou! Naquela época nós éramos realmente felizes! Papai era bem mais meu e eu não o dividia com ninguém.

Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, EUA; empresário; terapeuta; conferencista internacional; e escritor de 20 livros, entre eles: ''Jamais desista'', Editora Vida e ''Transformando lágrimas em vinho'', Editora MK.

Fonte www.estudosgospel.com.br

quinta-feira, 3 de março de 2011


O PROJETO DE DEUS

POR RENATA SANTOS

Paz!!!Gostaria de dizer o quanto este projeto que o Senhor colocou no coração do pastor Luiz,tem abençoado minha vida,através desse homem usado por Deus,que o Senhor abençoe e prospere ainda mais esse projeto,que tem sido edificante para minha vida e de outras pessoas.Esse ministério que é sonho e projeto de Deus ao qual colocou ainda mais o desejo no meu coração de ser missionária,pois muitos precisam ouvir a palavra de Deus e são homens e mulheres que Deus levanta e que fazem essa obra tão linda de pregar o evangelho.Vidas são libertas,familias,sonhos restaurados,cadeias sendo quebradas,com o toque do espírito santo em nossas vidas,que possamos ajudar mais nosso irmão Luiz com nossas orações e doações.Seja vc também tocado pela glória de Deus.Aquele que começou a boa obra em nossas vidas,não terminou,muito ainda há de vir,é só o inicio de tudo que Deus tem para fazer em nossas vidas.Amém,que o Senhor te abençoe Pastor dando paz,saúde ,essa família abençoada nas mãos do Senhor.Fica na paz!!



7 nomes de Deus no Salmo 23

O Senhor é o Deus Eterno, o Deus que fez uma aliança com Israel. Os nomes compostos de Deus no AT refletem o conteúdo deste salmo.

“Nada me faltará” – Adonay Yiré – “O Senhor que vê e provê” (Gn 22.14)

“Águas de descanso” – Adonay Shalom – “O Senhor é Paz” (Jz 6.24)

“Refrigera-me a alma” – Adonay Rafá – “O Senhor que te cura” (Ex 15.26)

“Veredas da justiça” – Adonay Tsidkenu – “Senhor, Nossa Justiça” (Jr 33.16)

“Tu estás comigo” – Adonay Shamá – “O Senhor está Ali” (Ez 48.35)

“Na presença dos meus adversários” – Adonay Nissi – “O Senhor é a minha bandeira” (Ex 17.15)

“Unge a minha cabeça” – Adonay Mekadesh – “O Senhor que me Santifica” (Lv 20.8)

Nele, que é o nosso Roy (Pastor)

O Salmo 23 sem duvida tem muitas bençaos para todo nós